Dono da Segway morre dirigindo Segway

Milionário inglês, que controlava a fabricante do veículo, caiu num rio no domingo, quando dirigia seu patinete motorizado

Gregory Katz ASSOCIATED PRESS LONDRES, O Estado de S.Paulo

28 de setembro de 2010 | 00h00

Jimi Heselden, de 62 anos, dono da empresa que fabrica o patinete motorizado Segway, foi encontrado morto em um rio no norte da Inglaterra, aparentemente depois de ter caído de um despenhadeiro em um dos veículos.

O corpo de Heselden e um Segway foram encontrados no rio Wharfe pela polícia de West Yorkshire. Uma testemunha afirmou ter visto um homem sofrer uma queda de cerca de 9 metros dentro do rio, próximo de Boston Spa, 225 quilômetros ao norte de Londres. A fortuna de Heselden era avaliada em US$ 263 milhões.

"O incidente não parece ser suspeito", informou a polícia, indicando que eles não acreditam haver outros envolvidos. Heselden, que comprou o controle da Segway em dezembro, fez fortuna com sua empresa Hesco Bastion, que criou um sistema de proteção usado no lugar de sacos de areia por soldados no Iraque e no Afeganistão. A Hesco Bastion confirmou que Heselden "morreu em um acidente trágico perto de sua casa em West Yorkshire". A polícia não divulgou detalhes adicionais.

O Segway, patinete elétrico estabilizado por giroscópios, foi inventado por Dean Kamen, que criou a companhia em 1999. Ontem, Kamen estava viajando e não foi encontrado para comentar. O Segway alcança velocidade de 20 quilômetros por hora.

Segundo o fabricante, tem impacto menor no ambiente que outros patinetes e que automóveis, sendo em média 11 vezes mais eficiente que os carros usados nos EUA. Ele também pode ser usado em ambientes fechados, por não emitir poluentes.

Apesar disso, a falta de informações sobre as circunstâncias da morte de Heselden levantou questões sobre a segurança do Segway, um ponto que anteriormente já foi alvo de preocupações.

Recall. Em 2006, a empresa fez um recall de todos os seus veículos nos EUA, porque uma falha de software fazia com que suas rodas revertessem a direção, fazendo com que as pessoas caíssem. Na Inglaterra, o veículo não foi aprovado para o uso em estradas, apesar de protestos dos fãs do Segway.

O Segway foi proibido em algumas cidades dos EUA, mas em outras foi adotado pelo departamento de polícia local, que o considerou uma ferramenta útil para patrulhamento da comunidade.

O ex-presidente americano George W. Bush tentou usar um Segway na casa de sua família no Maine, em 2003, mas o veículo caiu quando ele tentava se equilibrar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.