Dono do Banco Santos reuniu-se hoje com advogados

O controlador do Banco Santos, Edemar Cid Ferreira, reuniu-se na manhã desta quinta-feira com o advogado contratado na sexta-feira à noite, Sérgio Bermudes, para tratar dos desdobramentos da intervenção do Banco Central na instituição. "Conversamos sobre assuntos relacionados ao fato, que é muito recente, pois ocorreu há apenas alguns dias", comentou Bermudes.O advogado, que fica estabelecido em seu escritório no Rio de Janeiro, está hoje na capital paulista para tratar de assuntos relacionados à intervenção. Bermudes disse que seu escritório não contatou o banco norte-americano Goldman Sachs para participar do processo de reestruturação do banco brasileiro para uma eventual venda. Ele reafirmou, porém, que uma das soluções mais prováveis para o Banco Santos é a alienação. "Contudo, não houve nenhuma manifestação de outras instituições interessadas na alienação", frisou.Intervenção na ProcidO advogado não quis comentar a intervenção do Banco Central na Procid, alegando desconhecer a informação, mas disse que poderia opinar sobre o assunto no fim da tarde, quando teria informações mais detalhadas sobre a nova medida adotada pelo BC.O Banco Central divulgou hoje o comunicado 12.675, do Departamento de Liquidações Extrajudiciais, em que coloca em indisponibilidade os bens da Procid Participações e Negócios, empresa não-financeira com sede em São Paulo que controlava o Banco Santos, sob intervenção do BC desde a última sexta-feira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.