Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Donos do WestLB chegam a acordo para reestruturação

Banco vai reduzir seu balanço financeiro e seus ativos ponderados pelo risco até 2015 em quase 1/3 além do previsto anteriormente

Danielle Chaves, da Agência Estado,

16 de fevereiro de 2011 | 07h52

Os proprietários do problemático banco estatal alemão WestLB chegaram a um acordo para reestruturação e redução do tamanho da empresa, pouco antes do fim do prazo estabelecido pela Comissão Europeia. O WestLB informou que o governo da Alemanha apresentou o plano à Comissão antes da meia-noite de ontem.

De acordo com o plano, o banco vai reduzir seu balanço financeiro e seus ativos ponderados pelo risco até 2015 em quase um terço além do que havia sido previsto num plano de reestruturação anterior. O WestLB deverá ser separado em quatro unidades para serem preparadas para vendas ou parcerias no futuro.

Os proprietários terão de compartilhar o ônus da redução do tamanho do banco. Outros detalhes sobre o plano de reestruturação não foram imediatamente divulgados - como, por exemplo, se o banco vai precisar de mais injeção de capital ou de garantias estatais.

Em novembro do ano passado, a Comissão Europeia exigiu que o WestLB apresentasse um plano de reestruturação depois de supostamente ter usado 3,4 bilhões de euros (US$ 4,6 bilhões) em fundos estatais não revelados quando passou cerca de 77 bilhões de euros em ativos para um "banco ruim".

O WestLB pertence ao estado alemão de North Rhine-Westphalia e às duas associações de bancos de poupança do estado. O banco precisou de vários socorros mesmo antes da crise financeira global e recebeu cerca de 16 bilhões de euros em dinheiro dos contribuintes, segundo afirmou Joaquim Almunia, comissário da União Europeia, no começo deste mês.

O governo federal da Alemanha, por meio do fundo de estabilização dos mercados financeiros, o SoFFin, possui uma pequena participação sem direito a voto no WestLB, que adquiriu em troca de uma injeção de capital de 3 bilhões de euros. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.