Ernesto Rodrigues/Estadão - 10/1/2019
Ernesto Rodrigues/Estadão - 10/1/2019

Doria defende privatização do Porto de Santos e diz que vai vender aeroportos

O governador do Estado de São Paulo mencionou também a privatização da hidrovia Tietê-Paraná

Altamiro Silva Junior, O Estado de S.Paulo

29 de janeiro de 2019 | 13h03
Atualizado 30 de janeiro de 2019 | 11h20

O governador do Estado de São Paulo, João Doria, defendeu em apresentação nesta terça-feira para investidores a necessidade de privatização do Porto  de Santos, que pertence à União, das diversas estatais paulistas, e afirmou que a venda de 23 aeroportos e de estradas estaduais está entre as prioridades de sua gestão.

Doria mencionou também a privatização da hidrovia Tietê-Paraná e disse que a venda dos 23 aeroportos remanescentes vai permitir "melhorar a interiorização de voos, com companhias aéreas fortalecidas, com mais aeronaves e melhores condições técnicas". Ao falar da hidrovia, o governador ressaltou que a venda criará um ponto importante para escoar a carga para outros países, como o Uruguai e Argentina.

Nas rodovias, Doria destacou que 18 das 20 melhores estradas do Brasil estão no Estado de São Paulo, justamente porque foram passadas para a iniciativa privada. "Todas as rodovias que não foram concedidas ao setor privado, serão", disse, em evento do banco Credit Suisse. Ele falou também da intenção de renovar as concessões das estradas já nas mãos da iniciativa privada.

O evento reuniu cerca de 600 pessoas em um hotel em São Paulo, incluindo empresários, investidores e analistas. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.