Doria elogia ação das polícias em protesto e garante multa a sindicatos de rodoviários

Em entrevista ao 'Estado', prefeito também destacou a presença dos funcionários públicos no trabalho no dia da greve geral

O Estado de S.Paulo

28 de abril de 2017 | 15h15

SÃO PAULO - A ação da polícia e dos bombeiros na contenção dos protestos desta sexta-feira, 28, foi elogiada pelo prefeito João Doria, que ao comentar a greve geral garantiu que os sindicatos dos rodoviários serão multados em R$ 500 mil reais por desrespeitarem a decisão judicial que previa o funcionamento de pelo menos 80% da frota nos horários de pico. Durante entrevista ao vivo para o Estado na tarde desta sexta, o prefeito também agradeceu aos funcionários municipais que trabalharam e não se envolveram na manifestação a qual classificou como "muito mais política do que reivindicatória".

O prefeito voltou a afirmar que "ao contrário dos sindicalistas", acordou cedo para trabalhar, assim como outros servidores do município. "Houve um esforço muito grande dos funcionários públicos. Mais de 80% deles trabalhou. A maior ausência foi na rede municipal de ensino, com 50% (de presença). No atendimento médico teve 80%, nas outras áreas foi mais de 90%, algumas com todos presentes", disse.

Doria ainda afirmou que as manifestações foram mais semelhantes a um protesto do que a uma greve, mas que não conseguiram prejudicar tanto a mobilidade das pessoas, já que as polícias militar e civil, o corpo de bombeiros e a engenharia de tráfego agiram rapidamente para garantir movimentação.

João Doria ainda elogiou a ação de aplicativos de transporte como Uber, 99Taxi e EasyTaxi, por darem descontos nas corridas nesta sexta, e os motoristas de táxi, que não aderiram a greve e também não utilizaram a bandeira 2 - tarifa mais cara nas corridas. Questionado se a parceria dos aplicativos com a prefeitura tinha sido desfeita, Doria explicou que não voltou atrás em sua decisão, mas que pessoas favoráveis à paralisação começaram a usar os descontos destinados aos funcionários da prefeitura para "tumultuar" a ação.

O prefeito garantiu que a Prefeitura e as polícias estão preparadas para agir "com a mesma destreza, eficiência e determinação" caso aconteçam outros protestos.

Mais conteúdo sobre:
UberJoão DoriaSÃO PAULO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.