Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Doria veta manifestação de 1º de maio na Paulista

Segundo o prefeito, evento fere acordo fechado com o MPE; CUT afirma que seguiu ‘à risca todos os procedimentos’ e que vai manter convocação

Fabio Leite e Cleide Silva, O Estado de S.Paulo

27 de abril de 2017 | 22h39

A gestão do prefeito João Doria (PSDB) decidiu vetar o evento de 1.º de Maio da CUT na Avenida Paulista, alegando que o show organizado pela entidade naquela região fere o Termo de Ajuste de Conduta (TAC) assinado pela Prefeitura em março de 2007 com o Ministério Público Estadual (MPE).

O acordo permite a realização de apenas três eventos de grande porte por ano na Paulista: Réveillon, Parada Gay e Marcha para Jesus. O texto define uma multa de R$ 30 mil à administração em caso de descumprimento do termo.

A gestão Doria afirmou ainda que a CUT não pediu autorização para realizar o evento na segunda-feira. A Prefeitura Regional da Sé já notificou a central sindical sobre a impossibilidade de realização do evento na Paulista.

A CUT informou, por sua vez, que até as 20h45 de ontem não havia sido notificada da decisão e que manteria a convocação para o ato, previsto para começar às 12 horas de segunda-feira.

Em caso de descumprimento, a entidade está sujeita à aplicação de multa de R$ 20 por metro quadrado da área onde se realiza o evento sem autorização.

A direção da CUT informou que, junto com as centrais CTB e Intersindical, que participam do ato – assim como as frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo –, seguiu “à risca todos os procedimento exigidos pelo Poder Público” para fazer a manifestação na Paulista.

“Foram comunicados via ofício a PM, a CET e a subprefeitura da Sé, em 21 de março”, seguindo procedimentos adotados em outros eventos realizados na avenida. Disse ainda que, na terça-feira, foi realizada reunião entre representantes das três centrais, da PM, subprefeitura da Sé, GCM e Masp para tratar do assunto.

A agenda do evento conta com shows de artistas populares e um ato político às 15 horas, cujo tema será “luta e resistência contra o maior ataque aos direitos trabalhistas, previdenciários e sociais já ocorrido na história do Brasil”.

Sorteio de carros. A Força Sindical fará seu evento de 1.º de Maio na Praça Campo de Bagatelle, na zona Norte da cidade, nos mesmos moldes de comemorações anteriores. Haverá sorteio de 19 automóveis HB20 – doados pela fabricantes Hyundai, de acordo com a entidade. Também haverá shows de diversos artistas, entre os quais Michel Teló, Zezé Di Camargo & Luciano, Bruno & Marrone, Maiara & Maraisa e Zé Neto & Cristiano. O evento está previsto para ocorrer das 9 horas às 15 horas e são esperadas cerca de 1 milhão de pessoas, público que, segundo a entidade, tem comparecido à festa, realizada no local há 20 anos.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.