Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Dow Jones supera 10 mil pontos pela 1ª vez em 12 meses

Papeis de bancos e balanços do JPMorgan e Intel impulsionaram o principal índice de Wall Street

Nathália Ferreira, da Agência Estado,

14 de outubro de 2009 | 15h10

Em um dia de euforia e otimismo dos investidores por todo o mundo, o índice Dow Jones atingiu nesta quarta-feira, 14, a marca dos 10 mil pontos pela primeira vez em mais de um ano, impulsionado pelo forte desempenho dos papéis de bancos, em reação aos balanços do JPMorgan e da Intel. Na máxima intraday, o índice chegou a 10.001,58 pontos. A última vez em que o Dow Jones operou acima dos 10 mil pontos foi em 7 de outubro de 2008.

 

Às 14h26 (de Brasília), o Dow Jones subia 1,24%, aos 9.993,11 pontos. O Nasdaq avançava 1,20%, aos 2.165,55 pontos, enquanto o S&P 500 ganhava 1,36%, aos 1.087,74 pontos. No horário, as ações do JPMorgan exibiam alta de 2,85%. Na esteira, Bank of America subia 3,71% e Citigroup ganhava 2,48%.

 

A onda de otimismo também chegou ao Brasil, onde o mercado financeiro viu o principal índice da Bolsa de São Paulo registrar, às 15h15, alta de 2,05% aos 65.969 pontos. No mercado de câmbio local, o dólar continua sua tendência de queda e, às 15h28, era cotado a R$ 1,7030.

 

Europa

 

As bolsas europeias tiveram nesta quarta-feira ganhos intensos, impulsionadas por fortes resultados trimestrais de empresas como BASF, Intel e JPMorgan Chase. O índice pan-europeu Dow Jones Stoxx 600 subiu 2,1% e fechou a 246,98 pontos, em alta pela segunda vez em três sessões.

 

A alemã BASF - a maior indústria química do mundo - disse que seu lucro no terceiro trimestre superou as estimativas, beneficiado por medidas de corte de custos, pelo crescimento na Ásia e pela integração da farmacêutica Ciba. As ações da companhia subiram 7,38%. Outros vencedores no setor químico europeu incluíram a Arkema, que avançou 7,3% em Paris, e a Wacker Chemie, que ganhou 6,3% em Frankfurt.

 

Fortes ganhos foram observados também entre os índices acionários regionais. O principal índice da Bolsa de Frankfurt, o DAX, subiu 2,45% para fechar a 5.854,14 pontos. O principal índice da Bolsa de Paris, o CAC-40, avançou 2,14% e fechou a 3.882,67 pontos. O índice FTSE 100, o principal da Bolsa de Londres, teve alta de 1,98% para 5.256,10 pontos. As informações são da agência Dow Jones.

 

Ásia

Dados positivos da economia chinesa e o bom resultado trimestral divulgado pela Intel se refletiram nos mercados asiáticos, que terminaram em alta nesta quarta-feira. O preço das commodities, em particular do petróleo, também teve forte peso.

 

O otimismo com os preços do petróleo no curto prazo estimulou as compras de ações de petrolíferas, o que levou a Bolsa de Hong Kong a fechar na maior pontuação em mais de 14 meses. O índice Hang Seng ganhou 419,12 pontos, ou 2%, e terminou aos 21.886,48 pontos, o melhor fechamento desde 7 de agosto de 2008. Destaques para Cnooc, que saltou 3,5%; PetroChina, que disparou 5,2%; e Sinopec, que aumentou 3,1%.

 

Já as Bolsas da China apresentaram elevação pelo segundo pregão seguido. Os investidores ficaram animados com os números sobre exportação e importação de setembro - melhores do que as expectativas - e com a valorização do yuan, que estimulou a compra de papéis no setor imobiliário. O índice Xangai Composto ganhou 1,2% e encerrou aos 2.970,53 pontos. Já o Shenzhen Composto subiu 0,8% e terminou aos 1.021,10 pontos. As petrolíferas foram novamente o destaque do dia. China Petroleum & Chemical avançou 2% e PetroChina faturou 1,5%. Entre as imobiliárias, Gemdale disparou 5,8%.

 

(Com André Lachini, da Agência Estado)

Tudo o que sabemos sobre:
Dow Jonesbolsamercado financeiroEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.