Doze blocos são arrematados na 9ª rodada, por R$ 959 milhões

A OGX, de Eike Batista, levou sete dos 12 blocos da Bacia de Campos arrematados na primeira parte do leilão

Kelly Lima e Mônica Ciarelli, da Agência Estado,

27 de novembro de 2007 | 11h48

Contrariando as expectativas de analistas do setor de petróleo, a 9ª Rodada da ANP, realizada nesta terça-feira, 27, no Rio, registrou já na venda do primeiro lote oferecido, um volume de bônus arrecadado que quase chegou a se igualar ao recorde obtido pela reguladora em um leilão. Dos 17 blocos ofertados em águas rasas da Bacia de Campos, 12 foram arrematados. O valor de bônus de assinatura pagos pelos lotes arrematados foi de R$ 959 milhões. O recorde de arrecadação ainda é o da 7ª Rodada, de R$ 1,05 bilhão. A OGX, empresa estreante em licitações, braço do setor de petróleo da MMX, do empresário Eike Batista, foi a principal vencedora deste primeiro lote. A empresa levou sozinha cinco blocos, por R$ 781,9 milhões. Além disso, a empresa ainda levou outros dois blocos em parceria com a multinacional dinamarquesa Maersk Sealand (50% - operadora). Neste primeiro lote, a Petrobras venceu apenas um bloco, em parceria com a Petrogal (15%) e a Ecopetrol (37,5%), com bônus de assinatura de R$ 15,331 milhões. A estatal disputou seis blocos no total. Ainda neste lote, a Starfish arrematou um bloco sozinha, com bônus de assinatura de R$ 13,130 milhões. Os outros dois blocos restantes foram vencidos por um consórcio formado pela Anadarko (operadora) e StatoilHydro (50%). Entenda a Rodada As estreantes em rodadas são 19, sendo 10 brasileiras. Pela primeira vez, uma rodada conta com participantes dos cinco continentes. É consenso entre especialistas que a exclusão das 41 áreas da camada pré-sal, na qual foram descobertas recentemente jazidas de petróleo, reduziu o interesse dos investidores pelo leilão. É possível que muitas empresas esperem a retomada da 8ª Rodada, prevista para 2008, que ainda terá áreas na chamada faixa pré-sal. Serão oferecidos 271 blocos em 14 setores, totalizando 73.078,70 km² em áreas de elevado potencial, novas fronteiras e bacias maduras. As áreas em oferta abrangem 9 bacias sedimentares: Campos, Espírito Santo, Pará-Maranhão, Parnaíba, Pernambuco-Paraíba, Potiguar, Recôncavo, Rio do Peixe e Santos. Aproximadamente 40% dos blocos são de elevado potencial: 111, sendo 94 na Bacia de Santos e 17 na Bacia de Campos. Em novas fronteiras, serão 98 blocos: 69 marítimos, nas bacias Pará-Maranhão (50), Espírito Santo (6), Pernambuco-Paraíba (13), e em terra, 29, nas bacias de Parnaíba (10) e Rio do Peixe (19). Em bacias maduras terrestres serão 62 blocos nas bacias do Espírito Santo (10), Potiguar (20) e Recôncavo (32).

Tudo o que sabemos sobre:
9ª Rodada da ANP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.