Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

DPDC abrirá processo contra Gulliver

O Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor (DPDC), do Ministério da Justiça, instaurará nesta quarta-feira processo administrativo contra a empresa Gulliver para investigar os motivos da demora na comunicação aos consumidores brasileiros de possíveis problemas com os brinquedos da linha Magnetix, que são fabricados pela canadense Mega Brands e importados pela Gulliver. Com a publicação no Diário Oficial, prevista para hoje, a empresa será notificada e terá dez dias úteis para apresentar sua defesa. A decisão do DPDC sai dois dias depois de a empresa apresentar explicações ao órgão, que foram consideradas insuficientes. Se o DPDC decidir punir a empresa por prejuízo e desrespeito aos consumidores, a Gulliver estará sujeita a multas que podem chegar a R$ 3 milhões. Para o DPDC, a empresa brasileira tinha obrigação de conhecer os riscos e o alto grau de periculosidade às crianças dos brinquedos importados, principalmente, por causa do recall dos Magnetix iniciado nos Estados Unidos no ano passado. Em seu relatório, os técnicos do DPDC destacam que a Gulliver "só iniciou o processo de recolhimento desses produtos em 17/08/07, isto é, após 17 meses da realização do primeiro recall nos Estados Unidos".

Agencia Estado

30 de agosto de 2007 | 07h16

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.