Draghi e Merkel reforçam necessidade de reformas

A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, e o presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, conversaram nesta terça-feira em Berlim sobre a criação de uma autoridade independente de supervisão bancária na Europa, além da preparação da próxima cúpula da União Europeia, que acontece no mês que vem.

AE, Agencia Estado

25 de setembro de 2012 | 11h50

Segundo o porta-voz do governo alemão, Steffen Seibert, Merkel e Draghi "concordaram que uma considerável disposição para a implementação de reformas é necessária na Europa - entre os países e também dentro da união monetária - para melhorar a competitividade e reconquistar credibilidade".

Mais cedo hoje, Merkel pediu que sejam dados novos passos em direção à integração da zona do euro, mas alertou os países a agirem cuidadosamente na criação de um órgão supervisor bancário europeu.

Segundo a proposta da Comissão Europeia, a nova autoridade reguladora teria poder para fiscalizar os 6 mil bancos da Europa, mas a Alemanha quer que esse monitor se concentre apenas nos grandes bancos, com operações em vários países, ou seja, que podem afetar a estabilidade do sistema financeiro. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Europaeconomiareformas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.