Draghi reitera diretriz do BCE sobre taxas de juros  

O presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, reiterou nesta segunda-feira a diretriz futura do BCE de que as taxas de juros deverão ser mantidas nos níveis atuais ou serão reduzidas em um período estendido de tempo devido à fragilidade da economia.

AE, Agencia Estado

16 de setembro de 2013 | 05h28

Falando em uma conferência organizada por grupos europeus de lobby empresarial, Draghi pediu que os membros da zona do euro impulsionem o crescimento, o emprego e a competitividade, visto que a forte recuperação econômica do bloco de 17 membros ainda está em seus estágios iniciais.

Progressos na estabilização da zona euro foram obtidos, mas há mais trabalho pela frente, disse ele.

"Esta situação melhorada nos mercados financeiros, no entanto, ainda não se traduziu em uma recuperação econômica de base ampla", disse Draghi, de acordo com o texto preparado antecipadamente do discurso. A recuperação está apenas em sua etapa inicial. "A economia continua frágil. E o desemprego ainda está muito elevado. Dada que a perspectiva geral de inflação contida está se estendendo para o médio prazo, o Conselho do BCE espera que as taxas de juro principais permaneçam nos níveis presentes ou mais baixos por um período estendido de tempo", acrescentou.

Draghi disse que o programa de compras de bônus da instituição, chamado de Transações Monetárias Diretas (OMT, em inglês), segundo o qual o BCE deve comprar títulos no mercado secundário a fim de melhorar as condições de mercado, ajudou a restaurar o funcionamento normal dos mercados e retirou a incerteza que estava paralisando a economia de alguns países.

"O risco de um evento extremo da zona do euro caiu - e, portanto, o risco de um impacto adverso sobre a estabilidade de preços" também recuou, disse Draghi. "Esta ameaça para a estabilidade de preços na zona do euro foi o motivo pelo qual tivemos de agir... Sinto-me encorajado que durante todo este período, as expectativas de inflação permaneceram firmemente ancoradas. Isso mostra que os mercados e os cidadãos confiam no BCE para manter a estabilidade dos preços."

No início deste mês, o BCE manteve as taxas de juros inalteradas em uma mínima recorde de 0,50%, apesar de elevar sua previsão para o crescimento econômico deste ano na zona euro. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
zona do eurojuros

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.