Dubai World negocia dívidas e vai receber US$ 9,5 bi do emirado

Dubai World negocia dívidas e vai receber US$ 9,5 bi do emirado

Plano de pagamento de até US$ 26 bilhões foi negociado com os[br]bancos e será levado aos credores para aprovação

DUBAI, O Estadao de S.Paulo

26 de março de 2010 | 00h00

O governo de Dubai disse ontem que vai transferir cerca de US$ 9,5 bilhões ao conglomerado estatal Dubai World e seu braço imobiliário Nakheel e, ao mesmo tempo, oferecer aos credores o total pagamento de suas dívidas. Desse montante, US$ 1,5 bilhão irá para o Dubai World e o restante para o Nakheel.

O chefe do escritório de reestruturação do Dubai World, Aidan Birkett, disse que os bancos responderam favoravelmente ao plano de pagamento de até US$ 26 bilhões em dívidas, acrescentando ser essa oferta muito atraente aos credores.

Os mercados reagiram positivamente aos planos, que encerram meses de dúvidas quanto ao pagamento das dívidas do conglomerado. A Bolsa de Dubai fechou em alta de 4,3% e o custo do contrato de swap para proteção contra eventual calote de Dubai caiu cerca de 50 pontos básicos, para perto de 350 a 375 pontos.

A complexa operação, que levou meses para ser desenhada, envolve a emissão pelo Dubai World de nova dívida em duas parcelas e a conversão de US$ 8,9 bilhões, ou 38% das atuais obrigações, em ações, disse a companhia. A nova dívida não será garantida pelo governo.

O plano envolve ainda a venda de alguns ativos do conglomerado. No relatório financeiro de 2008, antes de o grupo apresentar problemas, o valor de seus ativos era estimado em mais de US$ 100 bilhões.

Birkett afirmou não prever que os termos do acordo sofram grande alteração durante as negociações para a aprovação dos 90 credores. Representantes do Dubai World ficaram cinco horas ontem reunidos com representantes de bancos, incluindo HSBC Holding, Standard Chartered, Lloyds Banking Group e o Royal Bank of Scotland Group. Bancos e credores comerciais disseram que ainda faltam detalhes à proposta.

Paralelamente, o governo de Dubai afirmou que os recursos para o Dubai Word "serão financiados por US$ 5,7 bilhões restantes de um empréstimo previamente disponibilizado pelo governo de Abu Dabi e por fontes internas do governo de Dubai".

O anúncio foi bem recebido pelo Fundo Monetário Internacional. O FMI disse que apoia a intenção das autoridades de "encontrar uma solução justa e imparcial" para os acionistas. "Uma conclusão satisfatória desse processo abriria o caminho para uma melhora geral nas condições de crédito, no ambiente para investimento e na atividade econômica do Emirado de Dubai e dos Emirados Árabes Unidos", disse o FMI em nota. / AGÊNCIAS INTERNACIONAIS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.