Dubiedade do governo afasta investimentos, diz Mendonça

Ex-presidente do BNDES no governo Fernando Henrique e um dos mais ativos críticos da equipe econômica então liderada por Pedro Malan, Luiz Carlos Mendonça de Barros, se confessou pessismista com a possibilidade de o governo Luiz Inácio Lula da Silva atrair investimentos para o País caso continue dividido em relação ao marco regulatório, sobretudo nas áreas de infraestrutura, como o setor elétrico. Em entrevista ao Conta Corrente, da Globo News, ele apontou duas saídas para o governo petista: conseguir atrair os investidores para as chamadas PPPs (parcerias público-privadas), devendo para tanto deixar de lado sua dubiedade, ou partir para a privatização, numa atitude semelhante à adotada pelo governo anterior, já que não dispõe de recursos fiscais e nem das estatais, com exceção da Petrobras, para financiar estes investimentos. "A dúvida que fica é que o governo até agora sempre teve uma atitude dúbia em relação a entregar ao setor privado o investimento na infraestrutura. Tem um pedaço do governo que é contra, tem um pedaço do governo que é a favor."IncerterzaPara Mendonça de Barros, o que tem ocorrido até agora é um meio-termo entre essas duas posições, o que cria um ambiente de muita incerteza para o setor privado. "Enquanto existir um governador do Paraná, que é aliado forte do governo, que retoma uma concessão de estradas, enquanto existir um governo pressionando para que o presidente de uma agência independente (caso da Anatel) peça demissão, o setor privado vai ser muito cauteloso."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.