Duhalde estuda cronograma eleitoral para a Argentina

O presidente da Argentina, Eduardo Duhalde, está decidido a ter uma participação chave na saída do poder e agora aceitou, segundo admitiram três assessores de confiança para o jornal argentino La Nacion, que publica na edição de hoje, a idéia de se avançar com um cronograma eleitoral e com projetos que definirão as regras do jogo para as próximas eleições presidenciais. Os comícios previstos para setembro de 2003 poderão ser antecipados se o governo conseguir fechar nas próximas semana um acordo com o FMI, diz a reportagem. Duhalde está convencido que deve ser ele quem deve conduzir o país a uma transição eleitoral ordenada.Por esta razão, diz o jornal, os principais homens do presidente deverão trabalhar em projetos ligados a reforma política: um deles indica a necessidade de reduzir as exigências para aqueles que desejam se apresentar como candidatos a presidente. Existem negociações reservadas com legisladores para que a iniciativa não ingresse no Congresso como um projeto do Poder Executivo.Diz ainda a reportagem que Duhalde recebeu alguns pedidos de governadores do Partido Justicialista para adiantar a programação para a eleição do futuro presidente, e apoiam a idéia para que entre outubro e novembro próximos ocorram eleições dentro dos partidos para a escolha dos candidatos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.