Duhalde nega renúncia ou antecipação das eleições

O presidente da Argentina, Eduardo Duhalde, afirmou hoje que não vai renunciar, nem convocar eleições antecipadas. O presidente considerou que ?enquanto a Argentina estiver na crise em se encontra, seria uma covardia renunciar?. Duhalde ponderou que ?se colocássemos o barco que é a Argentina para navegar em águas tranquilas e chegássemos a um porto seguro, aí sim, poderíamos antecipar as eleições?, convocadas para setembro de 2003.Esta foi a resposta que o presidente deu a seu inimigo político, o ex-presidente Carlos Menem, e aos governadores de Córdoba, José Manuel de la Sota, e de Santa Cruz, Néston Kirchner, que têm feito declarações públicas defendendo a convocação de eleições. Os três são candidatos à Presidência e pertencem ao mesmo partido de Eduardo Duhalde, o Justicialista. ?Sou um presidente de transição. Há políticos que querem se apressar, mas terão um ano e meio para que se apresentem às eleições?, concluiu Duhalde.Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.