Duhalde tenta fortalecer candidatura de governador de Santa Cruz

O presidente da Argentina, Eduardo Duhalde, está correndo contra o relógio para fortalecer a candidatura presidencial do governador da província patagônica de Santa Cruz, Néstor Kirchner.Kirchner é um dos três candidatos apresentados pelo Partido Justicialista (Peronista). No entanto, ao contrário de seus dois concorrentes peronistas, os ex-presidentes Carlos Menem e Adolfo Rodríguez Saá, Kichner, que governa uma província de menos de 200 mil habitantes, não possui uma base partidária própria de peso que o respalde.A estrutura de Kirchner é a de Duhalde, cujo feudo político é a província de Buenos Aires, onde o peronismo possui a maior máquina partidária do país. No entanto, Duhalde não conseguiu até agora causar grande entusiasmo entre seus seguidores com o pouco carismático Kirchner que, para complicar, não conta com o perfil do caudilho peronista: populista, de respostas rápidas e pulso forte.Por este motivo, seus assessores agora tentam "peronizar" Kirchner a todo vapor e fazê-lo mais conhecido na província de Buenos Aires, onde concentra-se quase 40% do eleitorado. Para reforçar sua candidatura, Kirchner conta desde meados da semana passada com o apoio declarado do ministro da Economia, Roberto Lavagna.O ministro, que desembarcou hoje proveniente de Washington, gravaria amanhã um spot publicitário a favor do candidato de Duhalde. A intenção é mostrar que a suposta "reativação econômica" da administração Duhalde continuaria ao longo de um eventual governo Kirchner.Para dar uma mãozinha a Kirchner, Lavagna anunciaria nos próximos dias um aumento salarial para os trabalhadores das empresas privadas. Além disso, evitaria tomar qualquer tipo de medida para remover os obstáculos que a Justiça está colocando para o aumento de tarifas do gás e energia elétrica.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.