Dulci destaca que há condições para queda de juros

Durante a apresentação aos empresários da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), o ministro-chefe da Secretaria Geral da Presidência, Luiz Dulci, ressaltou que nos primeiros meses de atuação, o governo Lula se empenhou na recuperação da estabilidade econômica que o País perdeu a partir da segunda metade do ano passado. A partir de agora, segundo ele, a idéia é manter a estabilidade e retomar o crescimento econômico. "Não pretendemos trocar a estabilidade pelo crescimento econômico, queremos crescer com estabilidade", afirmou. Para atingir estes objetivos, de acordo com o ministro, serão necessárias tanto políticas industriais, quanto de crédito, voltadas também para o mercado interno. Segundo ele, o governo está de acordo que a redução sustentada das taxas de juros é importante neste processo, desde que seja mantido o controle da inflação e tenha racionalidade. "As condições para que as taxas de juros sejam reduzidas progressivamente existem, mas o percentual tem que ser avaliado a cada mês pelo Copom", reiterou. Dulci lembrou que os bancos públicos estão criando linhas de créditos com taxas de juros menores para o microcrédito, liberando recursos do depósito compulsório, e que o governo está no momento dialogando com os bancos privados. "São várias iniciativas que deverão induzir a redução dos juros ainda este ano", disse. Para o próximo ano, conforme lembrou o ministro, o projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) que prevêem um crescimento de 3,5% do Produto Interno Bruto (PIB) e taxas de juros reais e nominais menores que este ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.