Duratex vai investir R$ 1,3 bi em nova unidade

A Duratex, fabricante de painéis de madeira, louças e metais sanitários, anunciou investimentos de R$ 1,3 bilhão para a construção da maior unidade de painéis industrializados de madeira da América Latina. O aporte será feito com recursos próprios e financiamentos junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

O Estado de S.Paulo

14 de março de 2014 | 02h06

Localizada no Triângulo Mineiro, contará com duas linhas de produção (MDP e MDF), que somarão uma capacidade efetiva de 1,4 milhão de metros cúbicos ao ano. A nova unidade expandirá a capacidade total da empresa para 5,6 milhões de m³ ao ano, representando um crescimento de 34%.

Em fato relevante, enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a empresa explica que as linhas serão montadas consecutivamente, o que representa importante redução de custos. Conforme a empresa, as linhas entrarão em operação, respectivamente, no segundo semestre de 2016 e 2017. De acordo com a Duratex, o investimento é necessário para atender o mercado a partir de 2017. "Este investimento complementa o Fato Relevante divulgado em abril de 2011, quando anunciamos duas novas fábricas de painéis de madeira", lembra a companhia.

A primeira, de 520 mil m³/ano localizada em Itapetininga, entrou em operação no terceiro trimestre de 2013 e a segunda, de 680 mil m3/ano, será substituída pelas duas novas linhas.

Erguida em um platô dentro da fazenda Nova Monte Carmelo, área florestal já pertencente à Duratex, que possui 38 mil hectares de eucaliptos plantados em 52 mil hectares de área total, a nova unidade industrial estabelecerá a menor distância média conhecida entre floresta e fábrica do mundo, igual a 35 km, quando ambas as linhas estiverem em operação plena.

Segundo a empresa, as novas linhas, com capacidade para expedir 700 mil m³/ano cada, terão individualmente o maior tamanho de linhas contínuas instaladas no mundo e gerarão 450 empregos diretos.

De acordo com a companhia, quando concluídas, as linhas vão gerar um incremento aproximado de R$ 1,3 bilhão na receita líquida anual da empresa, considerando preços atuais e mix de vendas planejado./ BETH MOREIRA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.