Tiago Gueiroz/Estadão - 9/9/2021
Tiago Gueiroz/Estadão - 9/9/2021

CCR vence leilão da Dutra e vai investir R$ 15 bi na rodovia

Em disputa apenas com a Ecorodovias, a concessionária manteve o favoritismo e vai administrar a rodovia por mais 30 anos

Renée Pereira, O Estado de S.Paulo

29 de outubro de 2021 | 15h09
Atualizado 29 de outubro de 2021 | 19h55

Em menos de 15 minutos, o grupo CCR confirmou o favoritismo e manteve a concessão da rodovia Dutra por mais 30 anos. A empresa, atual concessionária da estrada, disputou o leilão com a Ecorodovias e ganhou o certame com o desconto máximo de 15,31% sobre o valor da tarifa e outorga de R$ 1,8 bilhão. Com isso, a tarifa da Dutra deve cair cerca de 35% em relação aos valores atuais.

A partir da assinatura do contrato, a CCR terá de investir quase R$ 15 bilhões em uma série de obras e inovações. Além disso, deverá gastar cerca de R$ 10 bilhões em custos operacionais. Para o ministro de Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, esses números mostram que a concessão era para “bolso grande”, o que justificou a presença de apenas duas empresas no leilão. “Vamos ver o Brasil explodir de obras, vamos afastar o pessimismo e sair mais forte da crise.”

No mercado, o resultado do leilão surpreendeu mais pela proposta da EcoRodovias. Especialistas esperavam um desconto maior na tarifa, o que levaria o leilão para a próxima fase. “Mas deu a lógica tanto em relação aos competidores como a vitória da CCR”, diz Caio Loureiro, sócio do escritório Cascione, Pulino, Boulos Advogados.

Complexidade

Segundo ele, a complexidade do projeto já limitava bastante a entrada de investidores de menor envergadura. “A outorga pode ter ficado aquém do que o governo esperava, mas nesse tipo de projeto não cabe uma outorga muito grande mesmo”, completa Daniel Keller, sócio-diretor da consultoria Una Partners

O presidente da CCR, Marco Cauduro, disse que a manutenção da rodovia na empresa traz uma confusão de sentimentos de orgulho, privilégio e responsabilidade de cuidar das 800 mil viagens que ocorrem por dia na estrada. Segundo ele, a empresa está com o balanço saudável, com caixa e capacidade de alavancagem para pagar a outorga e fazer os investimentos exigidos. 

Uma das obras mais importantes da concessão é a duplicação de 16 km na Serra das Araras, uma área sensível do ponto de vista ambiental e complexa em termos de engenharia. Só esse projeto, que já tem licenciamento ambiental, custará R$ 1,2 bilhão. A solução para o trecho será construir uma nova pista de subida, com viadutos e um túnel, além de adequar a pista atual para descida. Serão quatro faixas em cada sentido.

Inovações

Mas o que mais chama atenção na nova fase da Dutra são os investimentos em inovações, como a instalação do free flow. O sistema, bastante disseminado nos EUA e na Europa, terá sua estreia no Brasil num trecho entre Guarulhos e Arujá (SP)

A cobrança do pedágio será feita pela leitura de tags ou pela placa do carro. A cada entrada e saída, haverá um pórtico com câmeras instaladas para detectar os veículos e calcular a tarifa pela quilometragem rodada. No caso de leitura pela placa, o usuário receberá o boleto para pagamento em casa, como ocorre com as multas.

Outra novidade será o desconto de usuário frequente, espécie de programa de fidelidade que reduz a tarifa para quem mais usar a rodovia. Mas, nesse caso, apenas quem tiver tag no veíuclo terá acesso aosdescontos, que podem reduzir em até 25% o valor total a pagar no fim do mês. O programa será válido apenas para veículos de passeio e não inclui caminhões. A Dutra também será toda iluminada e terá Wi-Fi em toda a sua extensão.

“Vamos transformar a Dutra na rodovia mais moderna do País e abrir espaço para levar essas inovações para outras concessões”, disse o ministro. Em seu discurso após o leilão, Freitas afirmou que o Brasil tem o maior programa de concessões do mundo e que até o fim do governo serão licitados cerca de R$ 1 trilhão.

A secretária especial do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), Martha Seillier, comemorou o resultado e disse que o leilão é 116.º deste governo. “Isso já representou investimentos de R$ 565 bilhões contratados.” O ministro destacou que o número deve aumentar ainda mais até dezembro com os leilões da BR-381 (MG), dos terminais portuários, de óleo e gás e de blocos remanescentes de saneamento em Alagoas e Rio.

Rio-Ubatuba

Além dos 364 km da Dutra, o vencedor do leilão também será responsável por 271 km entre a cidade do Rio de Janeiro e Ubatuba, no litoral norte de São Paulo. A rodovia também exigirá uma série de obras de duplicação e túneis na sua extensão. E várias áreas, como a Serra da Araras, são sensíveis do ponto de vista ambiental.

Tudo o que sabemos sobre:
Via Dutrarodovialeilão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.