Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Dúvida com CPMF pressiona juros

Temor no mercado é de que eventual não-aprovação do tributo seja compensada com aumento de impostos

Denise Abarca, Silvana Rocha e Claudia Violante, O Estadao de S.Paulo

30 de novembro de 2007 | 00h00

Enquanto a Bovespa e o dólar à vista exibiram volatilidade, ontem, os juros futuros operaram em alta e com boa liquidez. O risco de não-aprovação da CPMF pelo Senado trouxe pressão às taxas. O mercado teme que o rombo com eventual perda da CPMF seja coberto via aumento de impostos. No fim da tarde, no entanto, o governo acenou com a possibilidade de fazer cortes nos seus gastos correntes visando a aprovação do tributo. Como já estava fechado, o mercado não pode repercutir a notícia. Assim, o juro de janeiro 2010 avançou a 12,17%. Após testar R$ 1,80, o dólar à vista encerrou em queda de 0,06%, a R$ 1,793 na BM&F, e em estabilidade, a R$ 1,794 no balcão. A Bovespa subiu 0,72%, aos 62.156,3 pontos, embalada pela estréia hoje das ações da Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM&F). O risco Brasil subiu a 230 pontos-base.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.