finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

''É ataque político'', diz Mercadante

O senador Aloizio Mercadante (PT-SP) afirmou ontem ao Estado que considera "descabida" a forma como a oposição está tratando o contrato de financiamento entre a Petrobrás e os bancos federais - Caixa Econômica e Banco do Brasil. "É um ataque político que não tem consistência econômica e subestima a grave crise financeira. A oposição não apresenta nenhuma alternativa para o Brasil", cobrou o petista, presidente da Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), que aprovou nesta semana a realização de audiência pública para discutir a situação da Petrobrás e os dois empréstimos. Mercadante argumenta que a audiência já não tem urgência diante das explicações do governo e da própria Petrobrás. "A Petrobrás não está com dificuldade de caixa e o empréstimo não foi subsidiado. Os juros são acima da taxa Selic", afirmou. Mesmo assim, na 2.ª-feira, quando retornar de Montevidéu - onde participa de reunião do Parlamento do Mercosul - vai tentar fechar uma data com os 4 convidados. Entre eles, o presidente da Petrobrás, Sergio Gabrielli. Em conversa ontem com o senador, Gabrielli reafirmou sua disposição de atender pedido da oposição e comparecer à CAE. Mercadante é um dos poucos na bancada do PT no Senado que vem alertando sobre a gravidade da crise financeira e cobrando um debate sobre a conjuntura no Congresso.

CIDA FONTES, O Estadao de S.Paulo

29 de novembro de 2008 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.