'É como se tivesse 30 anos a menos'

Affonso Brandão Hennel, presidente da Semp Toshiba, mudou de hobby. As trilhas desafiadoras percorridas de jipe no passado foram substituídas pelo trabalho de reestruturação da sua empresa. "A empresa hoje é o meu hobby. Faço isso com alegria. Estou surpreso com a minha capacidade de resolver problemas e com a minha saúde, que eu nunca tive a chance de avaliar antes, a não ser nas trilhas." Animado com o desafio, o empresário de 84 anos disse que, se tivesse 50 anos, não sairia da empresa. A seguir, trechos da entrevista.

Entrevista com

Márcia De Chiara, O Estado de S.Paulo

28 de outubro de 2013 | 02h12

O que mudou com a volta para o dia a dia da empresa?

AFFONSO BRANDÃO HENNEL - Quando me aposentei continuei tocando meus assuntos financeiros pessoais e uma pequena propriedade em Gramado (RS). Um mês eu morava lá, outro aqui. Agora não dá mais para ir para lá.

Quantas horas o sr. está trabalhando por dia?

AFFONSO BRANDÃO HENNEL - Chego às 7h30 e saio depois das 18h. A eficiência que sou capaz de atingir equivale a uma jornada muito maior. Porque eu tenho cantos para cortar e sei como. Eu reduzo as hesitações. As novas experiências são blindadas pela experiência anterior. O meu tempo rende muito, a ponto de, neste momento, chegar aqui e procurar trabalho.

O sr. estava com uma vida boa. E agora, piorou?

AFFONSO BRANDÃO HENNEL - Não, a saúde melhorou. Estou mais animado e continuo fazendo o mesmo que fazia antes. Faço duas horas diárias de ginástica e leio muito.

A idade não pesa?

AFFONSO BRANDÃO HENNEL - Eu disponho de energia. Isso é o que faz a diferença. Se eu não tivesse energia, não ia dar. Eu me sinto perfeito, como se tivesse 30 anos a menos. O que estou antevendo é quando essa energia diminuir. É por isso que eu me preparo para sair. Se eu tivesse 40 ou 50 anos, eu não sairia não.

O sr. fez algum plano para reestruturar a empresa?

AFFONSO BRANDÃO HENNEL - Não precisa de plano. Plano, na maioria das vezes, só complica. A receita é simples para administrar bem uma empresa: acabar com os encargos e aumentar as receitas.

É isso que o sr. está tentando fazer?

AFFONSO BRANDÃO HENNEL - Exatamente.

O sr. pretende vender a Semp Toshiba?

AFFONSO BRANDÃO HENNEL - Todo negócio que não anda bem se cogita vender. Mas agora não quero vender, quero arrumar a casa.

E depois de arrumar a casa?

AFFONSO BRANDÃO HENNEL - Depois começam a aparecer os interessados. No momento, está descartada a venda.

E quando a empresa voltar a ter lucros?

AFFONSO BRANDÃO HENNEL - Talvez esses lucros sejam tão bons que eu não queira vender.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.