Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

É difícil reduzir prazo de análise no BNDES, rebate Lessa

O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Carlos Lessa, disse hoje que acha difícil reduzir o prazo de análise dos pedidos de financiamento que chegam à instituição. Com isso, ele contrariou, mais uma vez, uma afirmação do ministro do Desenvolvimento, Luiz Fernando Furlan, que defendeu maior agilidade na tramitação dos processos.Ele observou que a avaliação, muitas vezes, demora porque as empresas demoram a enviar todas as informações de que o banco necessita para chegar a uma conclusão. O BNDES leva, atualmente, de seis meses a um ano para examinar um processo.Reunião em BrasíliaLessa chegou hoje ao prédio do Ministério do Desenvolvimento para participar da reunião do Conselho do BNDES, que se reúne pela primeira vez em Brasília. Ele negou que a realização da reunião, na capital, tenha alguma relação com os atritos que vem tendo com Furlan. "Perguntem aos jornalistas que escrevem isso", sugeriu.Ele informou que a reunião tem um único item na pauta: o Programa de Geração de Emprego e Renda (Proger). Da reunião, que será presidida por Furlan, participarão, ainda, entre outros, os ministros do Trabalho, Ricardo Berzoini, e do Planejamento, Guido Mantega; o presidente da CUT, João Felício, e o secretário-executivo do Ministério da Fazenda, Bernard Appy, que já chegaram ao Ministério do Desenvolvimento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.