É paradoxo subir agora IPI de material de construção, diz Jorge

Programa federal "Minha Casa, Minha Vida" deve segurar redução do imposto até o fim de dezembro

Leonardo Goy, da Agência Estado,

24 de setembro de 2009 | 15h07

O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Miguel Jorge, disse nesta quinta-feira, 24, que é um paradoxo elevar agora o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) dos materiais de construção, no momento em que o governo conduz um programa de financiamento de casas populares como o "Minha Casa, Minha Vida". O IPI de uma série de produtos na área da construção foi reduzido durante a crise financeira global e deve voltar ao patamar normal até o fim de dezembro.

 

Jorge participou de audiência pública da Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional no Senado Federal para discutir a crise, o Mercosul e novos mercados. Ele também falou sobre os planos do governo para incentivar a indústria de equipamentos que serão usados na produção petrolífera do pré-sal. "O BNDES está fazendo um levantamento da base da indústria para ver o que pode ser feito", disse ele, acrescentando que o Brasil vai procurar países vizinhos, como a Argentina, que também possuem parque industrial voltado para o setor de petróleo. O ministro encerrou há pouco a sua participação na audiência.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.