carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

É preciso aumentar salários do Reino Unido, diz Carney

Serão necessários aumentos "substanciais" nos salários do Reino Unido para garantir que a recuperação econômica do país que começou no ano passado seja mantida, afirmou o presidente do Banco da Inglaterra (BoE), Mark Carney, segundo informações do jornal Bristol Post.

AE, Agencia Estado

29 de abril de 2014 | 07h49

Diante do crescimento econômico no ritmo mais rápido desde o início da crise financeira de 2008 e após a taxa de desemprego ter caído abaixo de 7,0%, os investidores esperam que o BoE aumente a taxa de juros no primeiro semestre de 2015.

Carney, porém, afirmou que ainda há muitas pessoas que trabalham menos horas do que gostariam no mercado de trabalho do Reino unido.

Nos últimos anos, os salários aumentaram mais lentamente do que os preços ao consumidor, o que pressionou os rendimentos reais.

"A fim de ver um retorno ao crescimento consistente precisamos ver melhora em todos os setores e também é necessário estabelecer um aumento substancial dos salários", disse Carney.

Além disso, o presidente do BoE sinalizou que enquanto a capacidade ociosa no mercado de trabalho não for eliminada, não haverá alteração na política monetária do banco central britânico.

"Quando começarmos a ver os aumentos nas taxas de juros, eles serão graduais e limitados", afirmou Carney, reforçando uma mensagem adotada pelo BoE em fevereiro. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
reino unidoboecarney

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.