É preciso mais um década de controle fiscal, alerta Palocci

O ministro da Fazenda Antônio Palocci defendeu hoje, em palestra no XVII Fórum Nacional, que o País precisará de pelo menos mais uma década de controle fiscal. Em sua apresentação, Palocci apresentou números mostrando que houve uma melhora substancial no superávit primário, mas ele considera que o esforço feito até agora ainda é insuficiente. "O governo, o Congresso e a sociedade precisam criar instituições que permitam controle maior dos gastos públicos. Isso não pode ser uma tarefa de apenas um governo ou de apenas quatro anos. Vamos precisar de pelo menos uma década para fazer os ajustes necessários", disse o ministro. Na sua avaliação, só assim os mercados financeiros terão uma percepção mais clara de controle dos gastos públicos, o que permitirá a redução das taxas de juros. "O mercado faz uma leitura antecipada das tendências de longo prazo. Quando sentir que haverá continuidade sustentada na relação dívida pública/PIB a tendência é que os juros caiam", observou. Palocci disse ainda que o Conselho Monetário Nacional vai fixar em julho a meta de inflação para 2007. Ele ressaltou novamente a importância do combate à inflação, dizendo que é uma condição para que o Brasil tenha crescimento sustentável.

Agencia Estado,

09 Maio 2005 | 18h11

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.