É preciso novos dados da indústria para avaliar tendência, diz Meirelles

Indicadores divergentes sobre uso da capacidade foram divulgados recentemente

Fernando Nakagawa e Renata Veríssimo, da Agência Estado,

20 de abril de 2010 | 11h34

O presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, afirmou nesta terça-feira, 20, que é preciso aguardar a divulgação de novos indicadores econômicos sobre o uso da capacidade instalada da indústria para se observar a real tendência da atividade, em meio a dados divergentes divulgados recentemente.

Em audiência pública na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado, Meirelles observou que os índices da Confederação Nacional da Indústria (CNI) e da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) mostraram, no início de 2010, queda do uso da capacidade. Já o índice da Fundação Getúlio Vargas (FGV) manteve tendência observada desde o início de 2009 e continua em elevação. Segundo Meirelles, é preciso verificar os próximos números para confirmar quais as duas tendências vai prevalecer.

Durante a audiência, Meirelles também ressaltou que o Brasil atualmente tem outro patamar no ritmo de criação de empregos formais. Ao citar que em março foram criados mais de 260 mil postos de trabalho com carteira assinada, o presidente do BC lembrou que em alguns anos da década de 1990, o País conseguiu criar pouco mais de 30 mil vagas formais.

Tudo o que sabemos sobre:
Meirelleseconomiadadostendência

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.