Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

"É preciso resolver questão da malha aérea", diz Lula

No encontro que teve nesta quarta-feira, em Brasília, com empresários do setor de turismo, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva comentou, segundo relato de participantes da reunião, a situação criada com a crise da Varig. Após ouvir de alguns dos empresários a afirmação de que o setor de turismo ainda não assimilou os problemas decorrentes da crise na companhia aérea, o presidente afirmou: "É preciso resolver essa questão da malha aérea, porque o brasileiro têm direito de ir e vir", disse Lula, segundo os relatos.Desde o leilão em que a VarigLog comprou a "parte boa" da companhia aérea, as rotas e espaços estão sendo reservadas pela Justiça do Rio de Janeiro aos novos controladores, enquanto a empresa reestrutura as suas atividades. A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) começou a redistribuição do que não estava sendo usado, mas a Justiça do Rio determinou a suspensão desta divisão. As companhias TAM e Gol também defenderam uma solução rápida para a reestruturação da malha aérea no País. Os presidentes das duas empresas participaram do almoço entre o presidente e empresários da cadeia de turismo e ouviram cobranças dos colegas de outros segmentos para que haja aumento de oferta de vôos e barateamento das passagens.O presidente da Gol, Constantino Oliveira Júnior, relatou no final do encontro que se falou sobre a necessidade de mais equilíbrio entre oferta e procura de assentos. "O que queremos é condições de prestar um bom serviço e não temos tido condições neste momento", afirmou o empresário.O presidente da TAM, Marco Antonio Bologna, disse que a companhia espera resolver parte dos "gargalos" que estão atrapalhando a oferta de vôos com a chegada de novos aviões. Nenhum dos dois empresários quis comentar a disputa entre Anac e a Justiça Empresarial do Rio. "Isso vai se resolver e acredito que se resolva rápido", resumiu Bologna. OfertaA ministra chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, disse que o governo concorda com a avaliação dos empresários do setor de turismo de que é necessário se aumentar a oferta de rotas aéreas no País. "O que se constata é que estamos numa fase em que é fundamental ter mais rotas e é do interesse do governo também", comentou a ministra, após participar do almoço, com Lula e outros ministros, com 22 empresários dos variados segmentos do turismo.A ministra não mencionou diretamente a disputa entre a Anac e a Justiça do Rio sobre a redistribuição ou não entre as demais empresas aéreas das rotas e dos espaços da Varig que não estão sendo utilizados, mas disse que defende a redivisão para que haja maior oferta de vôos. "Constatando-se a existência de vazios, é preciso ocupá-los", afirmou.Segundo Dilma, o aumento na oferta de vôos e de rotas, principalmente dentro do País, foi uma das colocações dos empresários durante o encontro. "A grande logística de um país continental como o Brasil no setor de turismo é a aviação", afirmou ela. Ela relatou que foi apresentado um estudo mostrando que 5/6 do turismo no mundo é interno e somente 1/6 busca destinos externos.A ministra elogiou o desempenho apresentado pelos empresários da cadeia turística. "É um setor que não existia organizado praticamente e a grande novidade é que agora estamos tratando o turismo como uma indústria e não como algo marginal", comentou Dilma. TV turismoLula voltou a defender a criação de um canal de televisão internacional para divulgar o turismo brasileiro na Europa e nos Estados Unidos por meio de uma Parceria Público-Privada (PPP).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.