É provável que o IPC feche junho com deflação, diz Fipe

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), calculado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), deve fechar o mês em um patamar próximo ao apresentado na terceira quadrissemana de junho, de -0,15%. A expectativa é do coordenador do IPC-Fipe, Paulo Picchetti, que, até a semana passada, estimava estabilidade dos preços na capital paulista ao final do mês. "É mais provável que o mês feche com deflação, mas é impossível a esta altura prever um número", disse. "Fazer uma projeção agora virou loteria porque há muita volatilidade", acrescentou.A deflação verificada na terceira pesquisa do mês surpreendeu o coordenador e também os analistas do mercado financeiro, que estimavam variação de -0,04% a 0,10%, conforme pesquisa da Agência Estado. "Ninguém previu certo", afirmou.Segundo Picchetti, a história da inflação no período é muito semelhante à da segunda quadrissemana de junho, com destaque para o comportamento baixista dos preços do setor agrícola. "É mais do mesmo, só que de forma muito mais intensificada."Apesar da surpresa com a deflação, o coordenador mantém a expectativa de que o IPC encerre o ano dentro de um intervalo de 5% a 5,5%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.