E-reader Kobo começa a ser vendido em dezembro

Com pelo menos sete meses de atraso, começa hoje o período de pré-venda do leitor de livros eletrônicos Kobo - e-reader da japonesa Rakuten lançado em parceria com a Livraria Cultura. O aparelho pode ser encomendado pelo site da livraria por R$ 399. A entrega está prevista para 5 de dezembro, quando o aparelho começa a ser vendido nas 17 lojas físicas da livraria. "Com essa parceria, a Livraria Cultura passa a ser uma fornecedora de conteúdo, literalmente", disse Pedro Herz, presidente do conselho da livraria.

LÍLIAN CUNHA, O Estado de S.Paulo

27 de novembro de 2012 | 02h06

Trinta mil títulos compatíveis com o Kobo (12 mil deles em português) estão disponíveis no site da livraria, segundo Herz. Cada livro, em formato ePub (compatível com o leitor), custa em média de 20% a 30% menos que a edição em papel, segundo Sérgio Herz, presidente da Livraria Cultura. O "best-seller" de E.L. James, Cinquenta Tons de Cinza, por exemplo, custa R$ 24,90 na versão eletrônica (em português) e R$39,90 na tradicional.

Essa não é a primeira vez que a Cultura lança um e-reader. Em 2010, ela colocou no mercado o Alfa, da Positivo, que não emplacou. O motivo, segundo fontes de mercado, foi a falta de títulos em português.

Agora, o clima é de otimismo. "A concorrência vai ter de correr atrás da gente pois estamos saindo na frente", disse Todd Humphrey, vice-presidente de desenvolvimento da Kobo, numa referência à Amazon. A Kobo foi comprada pela Rakuten em janeiro. Ex-executivo da Amazon, o canadense disse que outras versões (o Mini, com tela de cinco polegadas e Kobo Arc, o tablet da empresa) devem ser lançadas no primeiro trimestre do ano que vem. A atual, chamada Touch (comandada por toque e tela de seis polegadas) levou mais de sete meses para ser certificada pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). "Não sabíamos que ia demorar tanto."

Nos bastidores do evento de lançamento do e-reader, ontem, em São Paulo, executivos da Rakuten comentavam as especulações sobre a chegada da Amazon ao Brasil. "Fala-se muito, mas cadê? Não chegam nunca", disse Ricardo Ikeda, presidente da Rakuten Brasil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.