''''É resultado fora de série de bom''''

Executivo destaca, no PIB do terceiro trimestre, o investimento, que cresceu 4,5%, e diz que demanda não pressiona a inflação

Irany Tereza, O Estadao de S.Paulo

13 de dezembro de 2007 | 00h00

Ex-diretor do Banco Central e atual diretor-executivo do Banco Itaú, Sérgio Werlang destaca como o principal dado positivo do PIB o crescimento dos investimentos num ritmo de 4,5% por dois trimestres consecutivos. "É um resultado fora de série de bom", diz ele, que acredita num crescimento da economia de 5% não só em 2007, como também em 2008.A economia brasileira está em crescimento num ritmo sustentável? O PIB potencial, de longo prazo, está mostrando crescimento de 4,1% a 4,6% ao ano. Certamente, um crescimento nessa faixa não parece mais causar pressões inflacionárias. Agora, se é sustentável o ritmo de 5,7% (no terceiro trimestre de 2007 ante igual período de 2006), não há evidências suficientes para garantir. Pode até ser que seja. É muito positivo o crescimento do investimento, de 4,5%, do terceiro trimestre contra o segundo, e 4,6% do segundo contra o primeiro. É fora de série de bom. Mostra que teremos aumento de capacidade instalada.O crescimento sustentado no consumo das famílias pode pressionar a inflação?Não acho que esteja crescendo tanto. A demanda interna está crescendo 1,5%, trimestre contra trimestre, mas o que cresceu mesmo foi o investimento, 4,5%. O ritmo de crescimento da demanda interna seria de 6% ao ano, mas o que está crescendo é o investimento.Podemos esperar uma aceleração com os projetos do PAC?Os projetos do PAC ajudam, mas, no Brasil, o grande investidor sempre foi o setor privado nacional. O que está acontecendo é que o setor privado, o nacional em maior proporção e um pouco o externo, estão investindo. Para chegar a um PIB de 5% este ano será necessário crescer 4,3% no quarto trimestre, em relação ao quarto do ano passado. Isso está garantido?Esse cálculo é trimestre contra trimestre do ano anterior. Não tenho o número dessa forma. Na nossa expectativa, um crescimento do terceiro para o quarto de 1%, dessazonalizado, levaria a 5,3% no ano. Então, acho que a gente passa de 5% este ano.O governo falou em 5% há alguns meses e o mercado não acreditou. O que aconteceu?A grande novidade é a nova forma de medir o PIB, que é a mais correta, representa mais o crescimento da economia. É uma notícia muito boa. Melhor ainda quando se tira alimento e combustível do IPA (Índice de Preços por Atacado) industrial e se chega a menos de 2,7% em 12 meses.Então podemos esperar um 2008 com crescimento acelerado da economia? Acho que sim. As estimativas que temos hoje de PIB potencial, a partir do final de 2002, de 4,5% em média, são muito preliminares. Se você perguntasse se poderia ser 5% no ano que vem, eu diria que poderia. Mas não temos elementos para dizer isso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.