Economia alemã enfrenta grandes incertezas, diz BC

Existe uma grande incerteza sobre as perspectivas econômicas da Alemanha, afirmou o Bundesbank, banco central do país, em um relatório mensal nesta segunda-feira. O BC informou esperar que a Alemanha tenha crescido moderadamente no segundo trimestre apesar dos problemas provocados pela crise da dívida.

Reuters

23 de julho de 2012 | 07h38

A maior economia da Europa permaneceu até agora amplamente imune aos problemas da zona do euro e ajudou o bloco a evitar uma recessão no início do ano, mas dados recentes mostraram um quadro misto.

"O panorama para mais desenvolvimentos econômicos está marcado por grandes incertezas", disse o Banco Central, acrescentando que as empresas alemãs reduziram suas expectativas em junho apesar de uma alta nas encomendas em abril e maio.

O indicador de sentimento empresarial Ifo caiu pelo segundo mês seguido em junho, para seu menor nível em mais de dois anos. O índice de julho deve ser divulgado na próxima quarta-feira.

O Bundesbank afirmou esperar um crescimento moderado no segundo trimestre graças a desenvolvimentos positivos nos setores de construção e serviços e uma recuperação nas exportações e importações, enquanto salários mais altos e uma alta do emprego ajudaram o sentimento do consumidor.

O Ministério das Finanças da Alemanha disse na sexta-feira que o crescimento provavelmente desacelerou no segundo trimestre e deve permanecer moderado pelo restante do ano.

O Bundesbank também afirmou que nenhum país da zona do euro estaria melhor usando outra moeda.

(Reportagem de Eva Kuehnen)

Tudo o que sabemos sobre:
MACROALEMANHAINCERTEZA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.