finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Economia americana cresce 4,9% no 3º trimestre

A economia dos EUA cresceu mais do que o Departamento do Comércio havia estimado anteriormente, à taxa anualizada de 4,9% no terceiro trimestre, o maior ritmo desde a expansão de 7,5% registrada no terceiro trimestre de 2003. Na prévia, o Departamento do Comércio calculou que a economia norte-americana havia crescido à taxa anualizada de 3,9%. A revisão em alta do crescimento reflete aumento dos estoques e das exportações e ficou em linha à previsão dos economistas.Os investimentos residenciais fixos, o componente do Produto Interno Bruto (PIB) que inclui os gastos com imóveis, despencaram 19,7% no terceiro trimestre, um pouco abaixo da desaceleração de 20,1% estimada antes. Os investimentos residenciais fixos caíram 11,8% no segundo trimestre. A queda do terceiro trimestre nos investimentos residenciais fixos subtraiu 1,03 ponto percentual do PIB.O maior componente do PIB, os gastos dos consumidores, subiu 2,7% no terceiro trimestre, abaixo da estimativa anterior de aumento de 3%; no segundo trimestre, subiram 1,4%. Os gastos com consumo respondem por cerca de 70% de toda a atividade econômica norte-americana e no terceiro trimestre contribuíram em 1,88 ponto percentual do PIB. Na avaliação anterior, a contribuição havia sido de 2,11 pontos percentuais.Os investimentos em serviços subiram 2,8% no terceiro trimestre, abaixo da prévia de 2,9%. As compras dos consumidores de bens duráveis subiram 4% no trimestre, abaixo do cálculo anterior de elevação de 4,4%. No segundo trimestre, subiram 1,7%. Os gastos com bens não duráveis subiram 1,9% no terceiro trimestre.Os estoques das empresas subiram em US$ 32,9 bilhões no terceiro trimestre, acima da estimativa anterior de alta de US$ 15,7 bilhões; no segundo trimestre, subiram US$ 5,8 bilhões. Os estoques contribuíram em 0,98 ponto percentual no PIB, superando a avaliação anterior de 0,36 ponto percentual.As vendas reais finais do PIB, correspondentes ao PIB subtraído das mudanças nos estoques privados, subiram 3,9% no terceiro trimestre, contra previsão anterior de alta de 3,5% e de 3,6% no segundo trimestre.O comércio internacional teve forte participação na aceleração do PIB. As exportações subiram 18,9% no terceiro trimestre segundo a revisão, acima da estimativa anterior de elevação de 16,2%. As importações avançaram 4,3%, abaixo do cálculo anterior de aumento de 5,2%. O comércio representou 1,37 ponto percentual da alta do PIB, portanto acima da avaliação de contribuição de 0,93 ponto percentual anterior. No segundo trimestre, as exportações subiram 7,5% e as importações caíram 2,7%.Os investimentos das empresas subiram 9,4% no terceiro trimestre, acima da prévia de alta de 7,9%. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.