Economia brasileira cresce 0,1% no terceiro trimestre e País sai da recessão técnica

Economia brasileira cresce 0,1% no terceiro trimestre e País sai da recessão técnica

Quando comparado ao terceiro trimestre de 2013, PIB caiu 0,2%, segundo dados do IBGE

Economia & Negócios

28 de novembro de 2014 | 09h01

Após ter entrado em recessão técnica no segundo trimestre, a economia do País apresentou crescimento do terceiro trimestre, ainda que fraco. O Produto Interno Bruto (PIB) avançou 0,1% no terceiro trimestre em relação ao segundo trimestre. Quando comparado ao terceiro trimestre de 2013, houve queda de 0,2%.

De acordo com os dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o PIB avançou 0,2% no ano em relação a igual período de 2013 e acumula alta de 0,7% em 12 meses até o terceiro trimestre de 2014. 

Sobre a saída do País da recessão técnica, porém, o IBGE afirmou que os institutos de pesquisa "ignoram o conceito de recessão técnica". A declaração foi dada pelo diretor de pesquisas do IBGE, Roberto Luís Olinto Ramos, em coletiva após a divulgação do PIB. "A gente não usa o conceito de recessão técnica. Esse conceito é usado fora de padrão de normatização estatística", afirmou o diretor do IBGE. Segundo ele, a recessão envolve mais variáveis.

Setorialmente, a indústria se destacou no terceiro trimestre, registrando alta de 1,7% em relação ao segundo trimestre, o primeiro resultado positivo desde o segundo trimestre de 2013, quando o avanço foi de 2,2%. A agropecuária caiu 1,9%, enquanto serviços avançaram 0,5%.

Parte do desempenho fraco do PIB no terceiro trimestre é explicada pela queda do consumo das famílias. O consumo das famílias recuou 0,3% no terceiro trimestre em relação ao segundo trimestre, o pior resultado desde o quarto trimestre de 2008, auge da crise internacional, quando o recuo foi de 2% na mesma base de comparação. 

Na comparação com o terceiro trimestre de 2013, o consumo das famílias mostrou alta de 0,1%, o pior resultado desde o mesmo trimestre de 2003, quando caiu 1,5%.

O consumo do governo, por sua vez, subiu 1,3% no terceiro trimestre em relação ao segundo trimestre deste ano, a maior alta desde o mesmo segundo trimestre de 2013 (1,5%). Os investimentos (Formação Bruta de Capital Fixo) avançaram 1,3%, as exportações, 1% e as importações, 2,4%. A alta dos investimentos quebrou uma sequência de quatro trimestres de quedas. 

" STYLE="FLOAT: LEFT; MARGIN: 10PX 10PX 10PX 0PX;

A queda de 8,5% na Formação Bruta de Capital Fixo no terceiro trimestre de 2014 ante o mesmo período do ano anterior foi o terceiro resultado negativo consecutivo, segundo o IBGE.  Nesse mesmo tipo de comparação, a FBCF tinha recuado 11,2% no segundo trimestre. No primeiro trimestre do ano, a queda foi de 2,1%. 

Revisão. O IBGE revisou a variação do PIB do terceiro trimestre de 2013 em relação ao segundo trimestre daquele ano para queda de 0,5%. Anteriormente, o PIB do período havia caído 0,6%. (Com informações da Agência Estado)

 

Tudo o que sabemos sobre:
PIBeconomiarecessãocrescimento

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.