Economia caminha para crescimento próximo de zero no 3º tri, diz Serasa

Em agosto, atividade econômica registrou leve alta de 0,3%

Fabrício de Castro, da Agência Estado,

22 de outubro de 2010 | 12h02

A atividade econômica brasileira registrou leve alta de 0,3% em agosto em relação a julho, conforme dados divulgados nesta sexta-feira, 22, pela Serasa Experian, empresa especializada em análise de crédito. No trimestre encerrado em agosto, a atividade econômica caiu 0,2%, após a alta de 0,3% nos três meses encerrados em julho. Os números fazem parte do Indicador Serasa Experian de Atividade Econômica (PIB mensal).

Na comparação com agosto do ano passado, a economia brasileira cresceu 6,7% em agosto deste ano. No acumulado dos oito primeiros meses de 2010, a atividade econômica registrou expansão de 8,3% ante o mesmo período do ano passado. Para os técnicos da Serasa Experian, os resultados de hoje mostram que "o PIB do terceiro trimestre caminha para uma taxa de expansão próxima de zero em relação ao segundo trimestre de 2010, confirmando o atual processo de desaceleração do ritmo de crescimento econômico após forte avanço registrado durante o primeiro trimestre deste ano".

Segundo os economistas, fatores como "o fim dos estímulos fiscais à aquisição de veículos e bens duráveis, o aperto monetário conduzido pelo Banco Central entre abril e setembro e o enfraquecimento da economia mundial" levam ao crescimento mais moderado da economia.

Pelo lado da demanda, o indicador apontou um crescimento de 0,5% do consumo das famílias e de 0,2% do consumo do governo em agosto ante julho. No mesmo período, a Formação Bruta de Capital Fixo (investimentos) cresceu 2,4%, as exportações de bens e serviços avançou 4,8% e a importação teve alta de 0,5%.

Sob o ponto de vista da oferta, a agropecuária apresentou queda de 0,3% na atividade econômica em agosto ante julho. Já a indústria registrou alta de 0,8%, enquanto o setor de serviços avançou 0,5%.

Tudo o que sabemos sobre:
economiaatividadeSerasa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.