Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Economia chinesa cresce 8,9% no terceiro trimestre

O PIB do país asiático apresentou crescimento de 7,7% durante os nove primeiros meses de 2009

Efe,

22 de outubro de 2009 | 03h43

A economia chinesa cresceu 8,9% no terceiro trimestre de 2009, uma alta de um ponto porcentual em relação ao trimestre anterior e que coloca a China próxima de alcançar os alvos anuais de crescimento. Segundo informou nesta quinta-feira, 22, o Birô Nacional de Estatísticas (BNE) da China em entrevista coletiva, o valor acumulado do Produto Interno Bruto (PIB) nos nove primeiros meses de 2009, alcançou 21,78 trilhões de iuanes (US$ 3,19 trilhões), o que representa um aumento de 7,7% com relação ao mesmo período de 2008.

 

O comércio exterior nos nove primeiros meses do ano continuou sua tendência de queda com 20,9% (US$1,55 trilhões ou 1,03 trilhões de euros), embora a queda foi menor que o acumulado na primeira metade do ano (23,5%). O investimento em ativos fixos, nos primeiros nove meses do ano, chegou a 15,50 trilhões de iuanes (US$2,27 trilhões), um aumento anualizado de 33,4%.

 

Sobre as vendas no varejo, principal indicador de consumo, em nove meses alcançaram 8,96 trilhões de iuanes (US$ 1,31 trilhões), o que representa um aumento de 15,1% frente ao mesmo período do ano anterior. O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) caiu 1,1% nos três primeiros trimestres do ano, mas no mês de julho os preços deixaram de descer para manter-se como no mês anterior, enquanto em agosto e setembro apresentaram altas respectivas de 0,5% e 0,4%.

 

A renda per capita urbana disponível para os três primeiros trimestres do ano foi de 12,973 mil iuanes (US$ 1,9 mil), uma alta de 9,3%. A renda per capita rural nos nove primeiros meses do ano alcançou 4.307 iuanes (US$ 630,81), o que representa uma alta de 8,5% em valores anualizados.

Tudo o que sabemos sobre:
PIBChina

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.