Economia chinesa crescerá 9% em 2006, diz governo

A economia chinesa crescerá 9% este ano, segundo previu, nesta quarta-feira, o birô Nacional de Estatística da China, Qiu Xiaohua. A estimativa é um ponto porcentual acima da prevista pelo Relatório de Trabalho do governo, apresentado pelo primeiro-ministro chinês, Wen Jiabao, durante o plenário anual do Legislativo em março. Segundo o documento anterior, as previsões de crescimento médio anual durante o presente qüinqüênio (2006-10) deveriam manter-se em 7,5%. Já o Banco Popular da China (equivalente ao Banco Central brasileiro) calcula um crescimento de 8,9% este ano. A Organização das Nações Unidas (ONU), por sua vez, estima um avanço de 8% em 2006. Xiaohua indicou ainda que a China manteve um crescimento ao redor de 10% durante três anos consecutivos (com um recorde de 9,9 % em 2005), mas ressaltou que o país enfrenta a diversos obstáculos. Entre eles, o birô destacou o déficit energético, a proteção ambiental, os serviços médicos e educativos - abaixo dos padrões desejáveis e com preços somente acessíveis aos ricos -, assim como o preço da habitação. O Produto Interno Bruto (PIB) chinês alcançou, em 2005, 18 trilhões de ienes (US$ 2,23 trilhões), transformando o país na quarta economia do mundo.

Agencia Estado,

05 Abril 2006 | 10h39

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.