Economia da China deve se recuperar no 2º sem, diz BC

O crescimento econômico da China deverá se recuperar levemente no segundo semestre do ano e poderá atingir um crescimento anual de cerca de 8%, disse o estatal Bank of China. A previsão, contida em um relatório, é um pouco mais otimista que as previsões de empresas de pesquisas internacionais, muitas das quais revisaram em baixa suas estimativas para o crescimento econômico da China.

AE, Agencia Estado

24 de setembro de 2012 | 10h57

A economia da China cresceu 7,6% no segundo trimestre deste ano, uma queda em relação à alta de 8,1% no primeiro trimestre e marcou a menor alta trimestral em mais de três anos.

A Produto Interno Bruto (PIB) se recuperará para 7,7% no terceiro trimestre, e 8,1% no quarto trimestre, ajudado pelos esforços do governo para acelerar investimento, disse o economista-chefe do banco, Cao Yuanzheng.

A Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma (NDRC), a agência de planejamento econômico do país, tem acelerado as aprovações para investimentos desde maio.

"Mas isso não descarta a possibilidade de outra desaceleração no próximo ano", disse Cao, acrescentando que a economia pode se estabilizar neste ano, mas enfrenta renovados desafios em casa e no exterior.

O banco afirmou também que o Banco Central da China reduzirá o compulsório bancário uma ou duas vezes neste ano.

O setor de importação e exportação da China pode continuar a enfrentar obstáculos no segundo semestre do ano apesar dos esforços do governo para estimular a economia. As exportações deverão aumentar 6,3% e as importações deverá subir 6,2% neste ano, afirmou o banco. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Chinabanco central

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.