Economia da França mostra estagnação no 1º tri e coloca metas em dúvida

A fraqueza nos gastos de consumidores e nos investimentos de empresas levou a economia francesa a estagnar no primeiro trimestre deste ano, levantando dúvidas sobre a projeção de crescimento anual do governo e suas promessas de atingir as metas de déficit da União Europeia.

Reuters

15 de maio de 2014 | 07h26

A leitura estável ficou abaixo das expectativas de analistas e ressaltou os caminhos divergentes das duas maiores economias da zona do euro, uma vez que a potência econômica da Europa, a Alemanha, divulgou nesta quinta-feira um crescimento de 0,8 por cento no primeiro trimestre.

A França agora precisa crescer 0,5 por cento em cada trimestre para atender a uma projeção do governo de crescimento de 1 por cento em 2014, estimou o economista-chefe da Natixis Asset Management, Philippe Waechter, dizendo que isso será difícil de ser alcançado.

"Isso claramente não é bom", disse Waechter.

"O plano de finanças públicas da França foi montado sobre a projeção de crescimento de 1 por cento. Caso não alcancemos isso, a França não atingirá suas metas (de dívida e déficit) para 2014 e 2015".

(Reportagem de Ingrid Melander e Yann Le Guernigou)

Tudo o que sabemos sobre:
MACROFRANCAPIB*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.