Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Economia de energia no horário de verão cai 8,15%, diz ONS

Valor financeiro da redução, porém, foi igual ao do horário de verão anterior: R$ 30 milhões

Karla Mendes, da Agência Estado,

18 de fevereiro de 2011 | 15h28

A redução do consumo de energia do Horário de Verão 2010/2011 foi 8,15% menor que o do Horário de Verão 2009/2010. Enquanto no horário vigente a redução da demanda no horário de pico foi de 2.376 MW, no anterior foi de 2.587, o que representa uma diferença de 211 MW. O valor financeiro da redução, no entanto, foi o mesmo nos dois períodos: R$ 30 milhões.

Resultados preliminares apontam para uma redução da demanda no horário de ponta da ordem de 1.821 MW no subsistema Sudeste/Centro-Oeste e 555 MW no subsistema Sul. A redução representa 4,4% da demanda máxima dos dois subsistemas.

Neste ano, a economia da geração térmica evitada ao longo do horário de verão foi estimada em R$ 30 milhões, o que, segundo o ONS, resultará em redução da tarifa de energia elétrica para o consumidor.

Segundo o ONS, a redução do consumo no período para o subsistema Sudeste/Centro-Oeste equivale a aproximadamente 60% da carga no horário de ponta da cidade do Rio de Janeiro, ou a duas vezes a carga no horário de ponta de Brasília. No Sul, representa 60% da carga no horário de ponta de Curitiba.

"As principais consequências da redução de demanda no horário de ponta são o aumento da segurança e a diminuição dos custos de operação do Sistema Interligado Nacional", afirma o diretor-geral do ONS, Hermes Chipp, por meio de nota. De acordo com Chipp, o aumento da segurança operacional decorre da diminuição dos carregamentos na rede de transmissão; da maior flexibilidade operativa para realização de manutenções; e da redução de cortes de carga em situações de emergência neste horário.

Tudo o que sabemos sobre:
energiageraçãohorário de verãoONS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.