Economia do Brasil crescerá menos, diz consultoria britânica

A consultoria britânica Economist Intelligence Unit (EIU) revisou hoje a estimativa de crescimento do PIB brasileiro em 2003 de 1,5% para 1,3%. Para 2004, a previsão foi reduzida de 2,7% para 2%. "A demanda doméstica no Brasil está mais fraca do que esperávamos e isso nos levou a concluir que a recuperação econômica será mais gradual do que havia sido previsto anteriormente", disse ao Estado o economista-chefe da EIU Robin Bew. "Em 2004 a economia deverá melhorar modestamente, com o cenário global se fortalecendo e com as taxas de juros domésticas declinando."Segundo a consultoria, o compromisso do presidente Luiz Inácio Lula da Silva de "manter a estrutura macroeconômica herdada do governo anterior provocou uma alta sustentada dos ativos brasileiros nos últimos seis meses, com efeitos positivos na economia real e na dinâmica da dívida pública".Para a economia global, a EIU revisou de 2,9% para 3,2% a previsão de crescimento neste ano. A estimativa para 2004 também foi elevada de 3,7% para 3,9%. Segundo a consultoria, o PIB dos Estados Unidos deverá crescer 2,4% em 2003 e 3,3% no próximo ano. A consultoria ressaltou a melhora da previsão de crescimento do PIB do Japão, de 0,7% para 2% em 2003, com uma melhora na exportação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.