Economia do Brasil é 'robusta e estável', diz Deutsche Bank

Banco alemão elogia política econômica e prevê alta de 5% nos PIB de 2007 e de 2008.

Marcelo Crescenti, BBC

17 de outubro de 2007 | 07h15

O maior banco alemão, o Deutsche Bank, divulgou um comunicado em que elogia a economia brasileira, dizendo que o país deverá lucrar com investimentos chineses e deverá crescer cerca de 5% neste ano e em 2008.A nota, a última edição de um comunicado distribuído periodicamente e que traz avaliações sobre o desempenho de mercados emergentes, diz que as perspectivas para o setor financeiro do país são "extremamente positivas".O banco diz que o Brasil "aprendeu a lição" depois da crise de 2002, e que a economia agora é "robusta e estável".O real é uma das moedas que mais se valorizaram nos últimos anos, lembra o Deutsche Bank, com sede em Frankfurt."Se alguém se perguntar se essa tendência se compara aos altos e baixos do passado, a resposta é claramente não", diz o comunicado divulgado pelo braço dedicado a pesquisas do banco, o Deutsche Bank Reasearch.O Deutsche Bank prevê que o Brasil deverá lucrar com mais investimentos chineses nos próximos anos, principalmente no setor de matérias-primas."Só uma pequena parte dos investimentos prometidos pela China para a América Latina foram realizados até agora", lembra o banco.O relatório elogia a "política restritiva de juros e dívida pública" do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, mas diz que o bom desempenho econômico do país também se deve ao aquecimento da economia mundial."O atual curso da política econômica brasileira deverá ser mantido até depois do ano 2010", diz o banco, tranquilizando investidores.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.