Economia do Governo Central cai quase R$3 bilhões

O Governo Central (Tesouro, Previdência e Banco Central) acumulou no primeiro trimestre deste ano um superávit primário - arrecadação menos as despesas, exceto o pagamento de juros - inferior em quase R$3 bilhões ao registrado no mesmo período do ano passado. Nos três primeiros meses de 2006 foram R$14,606 bilhões, o equivalente a 3,06% do Produto Interno Bruto (PIB), contra R$17,038 bilhões, ou 3,89% do PIB, no primeiro trimestre de 2005. Detalhadamente, o Tesouro Nacional economizou R$24,493 bilhões no período, ante R$25,624 bilhões nos três primeiros meses de 2005. A Previdência Social, por sua vez, apresentou déficit de R$9,897 bilhões, ante R$8,586 bilhões. Já o Banco Central teve superávit de R$10,1 milhões no primeiro trimestre, ante déficit de R$100 mil no mesmo período do ano passado. Segundo o Tesouro, mesmo com o resultado inferior, "o desempenho no primeiro trimestre está em linha com a meta de 4,25% do PIB para o setor público consolidado". A meta de superávit primário para o 1º quadrimestre é de R$28,7 bilhões, mas esse valor inclui o resultado das estatais federais que será divulgado na próxima quarta-feira pelo BC, na nota sobre o resultado do setor público consolidado. Março O governo também informou que em março o superávit foi de R$7,069 bilhões, contra R$3,58 bilhões de fevereiro. Em março, o Tesouro apresentou superávit de R$9,678 bilhões, a Previdência teve déficit de R$ 2,612 bilhões e o BC um superávit de R$4,4 milhões. Despesa total A despesa total do governo central aumentou no primeiro trimestre deste ano 14,5% em relação ao mesmo período do ano passado, saindo de R$77,621 bilhões para R$88,879 bilhões. As despesas do Tesouro Nacional somaram R$51,923 bilhões, sendo R$26,028 bilhões relativos a pessoal e encargos sociais e R$25,770 bilhões, de custeio e capital. As transferências do Tesouro ao Banco Central totalizaram, no primeiro trimestre, R$124 milhões. No primeiro trimestre de 2005, as despesas do Tesouro somaram R$44,994 bilhões, sendo R$22,7 bilhões de pessoal e encargos sociais e R$22,122 bilhões de custeio e capital. Naquele período, a transferências do Tesouro ao Banco Central totalizaram R$165 milhões. As despesas com a Previdência Social entre janeiro e março deste ano totalizaram R$36,613 bilhões, ante R$32,240 bilhões no mesmo período do ano passado. Já as despesas do Banco Central somaram R$342,8 milhões ante R$386,6 milhões de janeiro a março de 2005. As transferências para Estados e municípios atingiram, no primeiro trimestre, R$22,071 bilhões, 8,7% superior aos R$20,304 bilhões de janeiro a março de 2005. A receita total do governo central somou R$ 125,557 bilhões no primeiro trimestre de 2006, um crescimento de 9,2% sobre o mesmo período de 2005.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.