Economia do governo é a menor para meses de junho em 6 anos

Déficit primário no Governo Central foi de 1,137 bilhão de reais no mês passado e caí em relação a maio

Fernando Nakagawa e Fabio Graner, do Estado de S. Paulo,

29 de julho de 2009 | 15h08

O setor público teve em junho superávit primário(arrecadação menos despesas, exceto o pagamento de juros) de R$ 3,376 bilhões em junho, conforme dados divulgados nesta quarta-feira, 29, pelo Banco Central. Trata-se do resultado mais baixo para o mês desde 2003. Contudo, em relação a maio, a economia é maior. Naquele mês, o esforço fiscal totalizou R$ 1,119 bilhão.

 

 

O setor público engloba o governo federal, estados e municípios. De acordo com os dados do BC, junho terminou com déficit primário no Governo Central de R$ 1,137 bilhão. Esse resultado foi compensando pelo superávit dos governos regionais, que somou R$ 2,523 bilhões, e as estatais, que apresentaram superávit de R$ 1,989 bilhão, com destaque para as companhias controladas pelo governo federal, que contribuíram com R$ 1,258 bilhão.

 

 

No primeiro semestre, o superávit primário do setor público atingiu R$ 35,255 bilhões, o equivalente a 2,44% do PIB - a meta para este ano é chegar a 2,5% do PIB. Em igual período de 2008, o resultado somava R$ 81,713 bilhões, o correspondente a 5,86% do PIB.

 

 

No resultado do semestre houve contribuição de R$ 20,949 bilhões do Governo Central (Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central), de R$ 15,320 bilhões dos governos regionais e déficit primário de R$ 1,015 bilhão das empresas estatais.

 

 

Já o acumulado de 12 meses até junho apresenta superávit primário de R$ 59,962 bilhões, o equivalente a 2,04% do PIB. Esse resultado foi gerado pela contribuição do Governo Central, que apresentou resultados positivos de R$ 31,580 bilhões (1,07% do PIB).

 

 

Déficit nominal cai em relação a maio

 

Nas contas públicas, a economia do governo após o pagamento de juros ficou negativa em R$ 10,130 bilhões. O resultado é pior do que no ano passado, quando o saldo estava em R$ 6,805 bilhões. Em maio, o saldo negativo era de R$ 11,474 bilhões.

 

 

O governo central teve déficit nominal de R$ 11,803 bilhões em junho, enquanto os governos regionais mostraram saldo negativo de R$ 314 milhões. As empresas estatais tiveram superávit nominal de R$ 1,988 bilhão, com destaque para as empresas federais, que mostraram saldo positivo de R$ 1,461 bilhão.

Tudo o que sabemos sobre:
Economiasuperávitprimárionominal

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.