Economia do governo sobe em agosto, mas cai 50% ante 2008

Setor público tem superávit primário de R$ 5,042 bi no mês, com contribuição positiva do governo central

Fernando Nakagawa e Fabio Graner, da Agência Estado,

30 de setembro de 2009 | 10h56

O setor público (governo federal, Estados, municípios e empresas estatais) apresentou superávit primário (economia do governo para o pagamento dos juros da dívida pública) de R$ 5,042 bilhões, em agosto. O dado foi divulgado nesta quarta-feira, 30, pelo Banco Central. O valor é praticamente a metade do observado em igual mês de 2008, quando o esforço fiscal somou R$ 10,084 bilhões, mas foi superior ao registrado em julho de 2009, quando o primário atingiu R$ 3,180 bilhões.

 

Veja também:

linkNão compete ao BC discutir controle de gastos, diz Meirelles

 

Segundo Altamir Lopes, chefe do Departamento Econômico do Banco Central, o superávit primário de R$ 5,042 bilhões no mês passado foi o mais baixo desde agosto de 2003, quando o saldo somou R$ 4,173 bilhões. A comparação também foi feita com o déficit nominal, que somou R$ 8,162 bilhões em agosto de 2009. O resultado também foi o pior para o mês desde 2003, quando o esforço fiscal do setor público foi de R$ 8,922 bilhões. 

 

Segundo o BC, o resultado do mês passado teve a contribuição positiva de R$ 3,899 bilhões do governo central e saldo também positivo de R$ 1,103 bilhão dos governos regionais, sendo que os estados tiveram superávit de R$ 813 milhões. Em agosto houve ainda superávit primário de R$ 41 milhões das empresas estatais, sendo que as companhias federais encerraram o mês com déficit primário de R$ 131 milhões.

 

No acumulado de janeiro a agosto, o setor público registrou superávit primário de R$ 43,477 bilhões, o equivalente a 2,21% do PIB. Em igual período de 2008, o resultado somava R$ 102,854 bilhões, o correspondente a 5,42% do PIB. Mas no período de 12 meses encerrado em agosto apresentou  o pior resultado do superávit primário da série histórica iniciada em 2001.

 

No acumulado dos oito primeiros meses de 2009, o superávit primário do governo central totalizou R$ 26,538 bilhões e os governos regionais tiveram primário de R$ 17,220 bilhões. Nas estatais, o período terminou com déficit primário de R$ 282 milhões, sendo que as companhias federais acumularam déficit de R$ 2,355 bilhões.

 

Nos 12 meses encerrados em agosto de 2009, o setor público somou superávit primário de R$ 47,044 bilhões, o equivalente a 1,59% do PIB. O valor está abaixo da meta de superávit para o ano de 2009 que é de 2,50% do PIB. O porcentual, porém, está ligeiramente superior à meta com o abatimento previsto para investimentos do governo, que pode chegar até a 1,56% do PIB, se todos esses gastos forem realizados. Nesses 12 meses, o governo central acumulou superávit primário de R$ 22,142 bilhões (0,75% do PIB) e os governos regionais contribuíram com R$ 23,264 bilhões (0,79% do PIB). Nas estatais, o período teve superávit primário de R$ 1,637 bilhão (0,06% do PIB), sendo que as companhias federais amargaram déficit primário de R$ 2,751 bilhões.

 

Dívida líquida e PIB

 

A relação entre a dívida líquida do setor público e o Produto Interno Bruto (PIB) ficou estável em agosto, em 44%. Em termos nominais, ela somou, no mês passado, R$ 1,289 trilhão, ante R$ 1,283 trilhão em julho. Em dezembro de 2008, a dívida representava 38,8% do PIB e, em termos nominais, somava R$ 1,153 trilhão.

 

A dívida bruta do governo geral (governo federal, Estados, municípios, excluindo Banco Central e empresas estatais) somou em agosto R$ 1,952 trilhão, representado 66,6% do PIB. Em julho, essa dívida estava em R$ 1,908 trilhão, correspondente a 65,5% do PIB.

 

Juros

 

As despesas com juros nominais do setor público em agosto somaram R$ 13,204 bilhões. O governo central pagou R$ 13,191 bilhões em juros, enquanto os governos regionais tiveram receitas de R$ 123 milhões. O conjunto das empresas estatais pagou R$ 135 milhões de juros em agosto.

 

No acumulado de janeiro a agosto de 2009, o gasto com juros do setor público soma R$ 108,310 bilhões, o equivalente a 5,51% do PIB. Em igual período de 2008, o gasto com juro foi de R$ 120,494 bilhões, correspondente a 6,35% do PIB. Nos oito primeiros meses deste ano, o governo central pagou R$ 99,201 bilhões (5,04% do PIB), os governos regionais pagaram R$ 9,013 bilhões (0,46% do PIB) e as empresas estatais, R$ 96 milhões.

 

Nos últimos 12 meses encerrados em agosto, o setor público pagou R$ 151,476 bilhões, o equivalente a 5,12% do PIB. O governo central pagou R$ 126,033 bilhões (4,26% do PIB), no período, os governos regionais tiveram gasto de R$ 24,020 bilhões (0,81% do PIB) e as empresas estatais, despesa de R$ 1,423 bilhão (0,05% do PIB).

Tudo o que sabemos sobre:
Setor públicoagostoBanco Central

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.