Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Economia do governo soma R$ 98 bi até julho e bate recorde

Superávit primário, de R$ 98,225 bi, não supera despesas, gerando déficit nominal de R$ 8,578 bi no período

Fernando Nakawaga e Fábio Graner, da Agência Estado,

27 de agosto de 2008 | 10h56

O setor público consolidado (governo central, governos regionais e empresas estatais) registrou superávit primário - arrecadação menos despesas, exceto o pagamento de juros - de R$ 98,225 bilhões entre os meses de janeiro e julho. O valor equivale a 6,01% do PIB e é recorde histórico para o período desde 1991. Em igual período de 2007, o primário somava R$ 79,578 bilhões, correspondente a 5,50% do PIB. O resultado no acumulado do ano foi gerado principalmente pela contribuição positiva do governo central, que fez esforço fiscal de R$ 68,451 bilhões.  Os governos regionais tiveram no período superávit primário de R$ 22,063 bilhões, com destaque para os estados, que economizaram R$ 20,101 bilhões. A contribuição das empresas estatais somou nos sete meses R$ 7,711 bilhões, dos quais as companhias federais contribuíram com a maior parte, R$ 6,574 bilhões.  No acumulado do ano, o pagamento de juros da dívida somou R$ 106,803 bilhões, o correspondente a 6,54% do PIB. A despesa superou a economia do governo no período, gerando um déficit nominal de R$ 8,578 bilhões, ou 0,53% do PIB. Entre janeiro e julho de 2007, o déficit nominal somava R$ 13,363 bilhões, ou 0,92% do PIB.  No período dos últimos 12 meses até julho, o setor público registrou superávit primário de R$ 120,254 bilhões, correspondendo a 4,38% do PIB.  Dívida X PIB O indicador que mede a relação entre a dívida líquida do setor público e o PIB ficou em 40,6% em julho, o equivalente a R$ 1,192 trilhão, o equivalente a 40,6% do PIB, de acordo com dados divulgados do BC.  Já a dívida bruta do governo geral, que exclui a dívida mobiliária na carteira do BC e inclui as operações compromissadas feitas pela autoridade monetária, atingiu em julho 55,6% do PIB, totalizando R$ 1,632 trilhão.  Julho O setor público consolidado registrou em julho superávit primário de R$ 12,109 bilhões, informou hoje o Banco Central. O superávit primário é referente à economia que o governo faz para pagamento de juros da dívida.  O resultado do mês passado foi gerado pela contribuição positiva do governo central, que economizou R$ 7,774 bilhões. O esforço fiscal dos governos regionais foi de R$ 2,847 bilhões, sendo que os Estados apresentaram no mês superávit primário de R$ 2,855 bilhões e as prefeituras tiveram déficit primário de R$ 8 milhões. A contribuição das empresas estatais foi de R$ 1,488 bilhão, sendo que R$ 1,286 bilhão foi de responsabilidade das companhias federais. As estatais estaduais fizeram esforço equivalente a R$ 222 milhões.  Segundo o BC, julho teve pagamento de juros nominais equivalente a R$ 18,777 bilhões, ante R$ 14,087 bilhões em julho de 2007 e R$ 16,994 bilhões em junho de 2008. Feito o pagamento de juros, o setor público encerrou julho com déficit nominal de R$ 6,668 bilhões.

Tudo o que sabemos sobre:
Banco CentralContas Públicas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.