Economia dos Estados Unidos continua fraca, alerta relatório

Consumidores estão "apertados" pela elevação dos preços e a mão-de-obra sofreu desaceleração

Renato Martins, da Agência Estado,

11 de junho de 2008 | 15h41

A economia norte-americana permaneceu fraca em maio, com os consumidores "apertados" pela elevação dos preços da energia e dos alimentos, enquanto os mercados de mão-de-obra sofreram uma desaceleração. É o que diz o "livro bege" do Federal Reserve, sumário sobre as condições da economia dos EUA que servirá de base para as decisões de política monetária a serem tomadas na próxima reunião do Comitê de Mercado Aberto (Fomc), nos dias 24 e 25. Veja também:Os efeitos da crise nos Estados Unidos Segundo o "livro bege", apesar de elevações "generalizadas" dos preços dos insumos para as indústrias, aparentemente o comércio varejista tem pouca capacidade para repassar esses custos para os consumidores, o que indica que a inflação ainda não fixou raízes na economia. O documento, preparado pelo banco central norte-americano com base em dados coletados até 2 de junho, diz que os informes dos distritos regionais do Fed "sugerem que a atividade econômica permaneceu fraca, em geral, no fim de abril e no começo de maio". Dos 12 distritos do Fed, apenas os de Filadélfia, Cleveland, Atlanta, St. Louis e San Francisco descreveram a atividade econômica em suas respectivas regiões como "estáveis" ou "pouco mudadas" durante as últimas semanas. Os demais relataram atividade "mais lenta". "mais fraca" ou "modesta". "A atividade manufatureira foi fraca, em geral, nas últimas semanas, com demanda fraca por produtos relacionados a moradia e alguns outros produtos, mas com demanda maior por exportações. Os mercados de imóveis residenciais continuaram fracos na maioria dos distritos. As condições do mercado de imóveis comerciais variaram conforme o distrito e o segmento do mercado, embora padrões mais exigentes para a concessão de crédito tenham sido relatadas para a maioria das categorias de empréstimos. Os distritos que informaram sobre os setores agrícola e de energia notaram condições melhores para a safra e maior atividade de perfuração e extração", diz o "livro bege". O documento também diz que "informes de custos mais altos de insumos foram generalizados. Contatos da indústria em vários distritos notaram alguma capacidade de repassar custos mais altos para os consumidores. Os varejistas relataram resultados variados com respeito à elevação dos preços finais dos produtos. Na maioria dos distritos, os informes foram de pressões salariais moderadas ou limitadas para todas as posições, exceto uma poucas de maior especialização", à medida que as contratações continuaram esparsas na maioria dos distritos".

Tudo o que sabemos sobre:
VarigDenise Abreu

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.