Economia dos EUA cresce de forma modesta e desigual, diz BC

A economia dos EUA cresceu de forma modesta nas últimas semanas, com um desempenho desigual dos vários setores, informa o "livro bege" do Federal Reserve, um sumário sobre as condições da economia norte-americana preparado pelo Banco Central. "De uma maneira geral, os preços de bens acabados e serviços permaneceram estáveis, embora houvesse informes esparsos de pressões de preço", afirma o texto com base em dados coletados até 23 de julho, e que servirá de base para as decisões sobre taxas de juro a serem tomadas na próxima reunião do Comitê de Mercado Aberto (Fomc), marcada para 13 de agosto.O "livro bege" indica que as vendas no varejo tiveram um desempenho desigual, com quatro distritos relatando algum enfraquecimento e cinco falando em aceleração, em parte relacionada ao início do verão. "Os estoques no varejo estão em boa forma e a maioria dos varejistas expressou otimismo quanto às suas perspectivas de vendas no curto prazo. As vendas de veículos foram fracas em junho, mas cresceram no começo de julho, graças a programas de incentivo", diz o documento.Segundo a análise do Fed, "a atividade industrial, embora desigual entre os distritos e entre os setores, parece ter melhorado na média." O documento também diz que "a atividade do mercado imobiliário e de construção foi amplamente descrita como forte, embora alguma debilidade tenha sido relatada no segmento de aluguéis". Já a atividade no mercado de imóveis comerciais está fraca ou estável. "Os bancos relataram demanda forte por hipotecas residenciais, demanda estável por crédito ao consumidor e demanda fraca, embora melhorando em alguns casos, por crédito comercial. A qualidade de crédito ainda foi descrita como boa, sem crescimento significativo nas taxas de inadimplência", diz o "livro bege".Segundo o texto, "as condições da agricultura foram descritas como pobres em vários distritos". O "livro bege" diz que "os mercados de mão-de-obra foram caracterizados como tendo folga, mas relativamente estáveis na maioria dos distritos".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.