Reuters
Reuters

Economia dos EUA cria 161 mil empregos em outubro

Analistas esperavam um crescimento um pouco maior, de 173 mil vagas; mesmo assim, mercado elevou apostas de alta de juros em dezembro

Dow Jones Newswires

04 Novembro 2016 | 10h51

Os Estados Unidos geraram 161 mil empregos em outubro, informou o Departamento do Trabalho nesta sexta-feira. Analistas ouvidos pelo Wall Street Journal previam crescimento um pouco maior, de 173 mil.

A criação de vagas no mês de setembro foi revisada para cima, de 156 mil antes informada para 191 mil, segundo o Departamento do Trabalho. Em agosto, foram gerados 176 mil postos de trabalho no país. O quadro geral é de solidez no mercado de trabalho, dias antes das eleições presidenciais da próxima semana. Com as revisões, foram gerados em agosto e setembro 44 mil vagas a mais que o antes calculado.

A taxa de desemprego caiu a 4,9% em outubro, de 5,0% em setembro. O resultado veio em linha com a previsão de analistas consultados pela Dow Jones Newswires. Uma medida mais ampla do desemprego - que inclui os norte-americanos que trabalham meio período - caiu para 9,5% em outubro, de 9,7% no mês anterior. Já a taxa de participação na força de trabalho dos EUA recuou marginalmente em outubro, a 62,8%, de 62,9% em setembro.

O ganho médio por hora subiu 2,8% em outubro na comparação com igual mês do ano passado, o crescimento mais forte nesse indicador desde junho de 2009 no país.

A contratação ao longo dos três meses até outubro ficou em média em 176 mil por mês. O ritmo representa uma desaceleração, já que os 181 mil por mês deste ano até outubro ficam abaixo dos 229 mil por mês em média em todo o ano de 2015. Ainda assim, houve ganhos na maioria dos setores da economia americana em outubro, embora o emprego tenha recuado em alguns setores, como a indústria, o varejo e a mineração.

Os salários continuaram a aumentar, com a melhora do mercado de trabalho. O ganho médio por hora dos trabalhadores do setor privado subiu US$ 0,10 em outubro ante setembro, ou 0,4%, a US$ 25,02 em outubro. Economistas esperavam crescimento mensal de 0,3%. O Departamento de Trabalho disse que o número de horas trabalhadas na semana ficou estável ante o mês anterior.

Alguns economistas avaliaram se o furacão Matthew afetaria o crescimento do emprego em outubro no país. Para outros, porém, o impacto não deve ter sido significativo.

Juros. As apostas de elevação de juros pelo Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) na reunião de dezembro aumentaram após o relatório de setembro dos EUA, apesar de o documento conhecido como "payroll" ter vindo um pouco aquém da expectativa. 

Logo antes do payroll, os futuros do Fed funds negociados monitorados pelo CME Group mostravam chance de 66,8% de uma elevação de juros pelo banco central norte-americano. Pouco depois do indicador, essa possibilidade subiu para 76,3%, segundo o site do CME.

Nesta quarta-feira, o Fed decidiu manter a política monetária, embora tenha sinalizado que a economia dos EUA em geral continua a caminhar para suas metas. A próxima reunião do BC americano ocorre nos dias 13 e 14 de dezembro. / COM INFORMAÇÕES DE GABRIEL BUENO DA COSTA, DA AGÊNCIA ESTADO 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.