Sergio Perez/Reuters
Sergio Perez/Reuters

Economia dos EUA cria 173 mil empregos em agosto, abaixo da previsão do mercado

Departamento do Trabalho do país, no entanto, revisou os números dos dois meses anteriores, mostrando um mercado de trabalho mais aquecido do que o previsto inicialmente

O Estado de S. Paulo

04 Setembro 2015 | 10h07

WASHINGTON - A economia dos EUA criou 173 mil empregos em agosto, número que ficou abaixo da previsão dos economistas consultados pela Dow Jones Newswires, de 220 mil. Os dados dão do Departamento do Trabalho do país.

A criação de empregos em agosto se concentrou no setor de cuidados com a saúde, assistência social e atividades financeiras. Já o emprego industrial caiu em 17 mil. Segundo alguns economistas, o Fed estava pronto para agir e aumentar a taxa de juros do país, mas a recente turbulência nos mercados financeiros pode ter deturpado as perspectivas.

Os resultados dos dois meses anteriores, no entanto, foram revisados. Em junho, a criação de vagas foi revisada de 223 mil para 245 mil, enquanto que a criação de vagas em julho passou de 215 mil para 245 mil.

Os ganhos médios por hora dos trabalhadores do setor privado subiram 0,32% em agosto, para US$ 25,09, enquanto a previsão era de alta de 0,2%. Na comparação com agosto do ano passado, houve aumento de 2,2%. A semana média trabalhada permaneceu em 34,6 horas em agosto. Enquanto isso, a proporção de norte-americanos participantes da força de trabalho ficou inalterada em 62,6% em agosto. Essa taxa é a mais baixa desde 1977.

Desemprego. A taxa de desemprego nos EUA - que é obtida em uma pesquisa separada da que calcula o número de vagas criadas no país - diminuiu para 5,1% em agosto, de 5,3% em julho. O resultado ficou abaixo da expectativa dos analistas consultados pela Dow Jones Newswires, de 5,2%.

O resultado significa que em agosto havia 8 milhões de norte-americanos que buscavam emprego, menos do que os 8,3 milhões em julho. Mais 6,5 milhões de pessoas tinham emprego de meio turno em agosto, embora quisesse um trabalho em tempo integral.

A taxa de desemprego que inclui trabalhadores em empregos de meio turno ou desmotivados para procurar uma nova colocação caiu para 10,3% em agosto, de 10,4% em julho.

Mais conteúdo sobre:
EUA emprego desemprego payroll

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.